Empossado novo corpo directivo da ESP-Bié

Ministro do a ensino superior, Adão do Nascimento (à esquerd.) e governador do Bié, Álvaro Manuel de Boavida Neto (Foto: Angop)

Cuito – O ministro do Ensino Superior, Adão do Nascimento, conferiu hoje, segunda-feira, posse, na cidade do Cuito, aos membros directivo da Escola Superior Pedagógica do Bié.

Ministro do a ensino superior, Adão do Nascimento (à esquerd.) e governador do Bié, Álvaro Manuel de Boavida Neto (Foto: Angop)
Ministro do a ensino superior, Adão do Nascimento (à esquerd.) e governador do Bié, Álvaro Manuel de Boavida Neto (Foto: Angop)

Trata-se de Alfredo Maria de Jesus Paulo, director geral da escola Superior Pedagógica do Bié, Evaristo Vitangi Gando, director geral adjunto para área a académica, Guilherme Carlos Augusto, director geral adjunto para área científica, e Francisco Isaac, secretário-geral, respectivamente, que terão a missão de dirigir os destinos da ESP/Bié nos próximos quatro anos.

Na ocasião, o ministro Adão do Nascimento apelou ao reforço da unidade na direcção, para que sirva de base e exemplo ao corpo docente, pessoal administrativo e estudantes, em prol o engrandecimento da instituição do ensino.

Sublinhou ainda que o sector de tutela vai continuar a trabalhar com o governo local no sentido de melhorar a qualidade dos quadros de educação formados na ESP-Bié, capazes de colaborar de maneira empenhado para se desenvolver o sistema de educação angolano, assim como na expansão no interior da região.

Já o governador do Bié, Álvaro Manuel de Boavida Neto, asseverou que o governo vai continuar a abraçar os objectivos e metas do Ministério do Ensino Superior.

Salientou, por outro lado, que o governo da província do Bié pretende que o ensino superior seja cada vez mais forte, competente e que essencialmente produza homens que sirvam a sociedade e sobretudo se diferenciam no contexto de África e não só.

“ O assumir qualquer responsabilidade é sempre bom, mais o exercício da actividade implica sacrifício, responsabilidade e no caso de Angola exige sentimento patriotismo, para que a ciência esteja para o bem da nação “, disse. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA