Director do Instituto de Ciências Policiais considera crucial articular pesquisa ao ensino

DIRECTOR DOISCPC, COMISSÁRIO ALBERTO SEBASTIÃO MENDES (Foto: Angop)

O director do Instituto Superior de Ciências Policiais e Criminais (ISCPC), comissário Alberto Sebastião Mendes, disse nesta terça-feira, em Luanda, que a instituição deve articular a pesquisa ao ensino, tornando os docentes e cadetes parceiros na produção de conhecimentos voltados ao exercício da cidadania.

DIRECTOR DOISCPC, COMISSÁRIO ALBERTO SEBASTIÃO MENDES (Foto: Angop)
DIRECTOR DOISCPC, COMISSÁRIO ALBERTO SEBASTIÃO MENDES (Foto: Angop)

Ao discursar no acto de abertura das Primeiras Jornadas Científicas desta instituição castrense de ensino superior, o responsável do instituto revelou que a pesquisa deve ser encarada como um princípio educativo e, por sua, vez, imperativa do saber.

“Pois, só pode ensinar quem sabe, quem questiona e quem busca a sua própria produção”, expressou.

O oficial comissário disse ser necessário compreender o verdadeiro papel deste estabelecimento de ensino superior, na construção de conhecimentos relacionados com as ciências policiais e outras afins.

Ao realizar as suas jornadas científicas, afirmou, o instituto está cumprir com mais uma das suas responsabilidades, que consiste em promover o desenvolvimento e a sistematização de conhecimentos, divulgá-los e torná-los mais acessíveis a todos os interessados.

Para si, tais pressupostos precisam ser incorporados por todos que se identificam com o ensino, no caso dos cadetes, professores, dirigentes e funcionários administrativos.

Dai que exortou-os no sentido de participarem nos debates, para que as conclusões que resultarem dos mesmos tenham implicações práticas.

Aos prelectores, encorajou-os no sentido de apresentarem temas que suscitam um debate ao nível da missão da instituição, que consiste formar oficiais de polícia dotados de competências sólidas relacionadas com o enfrentamento policial.

Durante as jornadas, que decorrem no Instituto Superior de Ciências Policiais e Criminais, estarão em debate temas como a polícia na ordem jurídico angolana, o papel da inteligência criminal no enfrentamento criminal e reflexões sobre a justiça penal em Angola e sua influência na prevenção da criminalidade.

O Instituto Superior de Ciências Policiais e Criminais foi criado à luz do Decreto Presidencial número 09/2012, de 20 de Janeiro, com a missão de formar oficiais de polícia, habilitando-os ao exercício das distintas responsabilidades profissionais, bem como promover e ministrar cursos de actualização, capacitação e especialização em diversas matérias de actuação policial.

Participam nas jornadas, membros do conselho consultivo da instituição, representantes da cooperação cubana em Angola junto do Ministério do Interior, docentes, cadetes, entre outros convidados, em especial o professor doutor Mário João Ferreira Monte, da Universidade do Minho, Portugal. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA