Delírio à beira do mar com Paulo Flores a brilhar

Paulo Flores (Foto: Paulo Figueiredo)
Paulo Flores (Foto: Paulo Figueiredo)
Paulo Flores
(Foto: Paulo Figueiredo)

Ao segundo dia, o Sol da Caparica registou uma enchente, com milhares de festivaleiros prontos para se divertirem ao som de alguns dos nomes mais conceituados da música lusófona. Os O’queStrada mostraram, ontem à noite, no segundo palco, porque são um dos grupos mais animados do momento.

A tocarem quase em casa para uma legião de fãs conhecedora do percurso da banda, o coletivo de Almada percorreu os temas mais populares de uma carreira com mais de dez anos. Antes, Paulo Flores encantou a multidão que se juntou no primeiro palco com os novos ritmos de Angola numa atuação muito feliz. O segundo palco contou, já no final da tarde, com os Brigada Victor Jara.

A celebrar quatro décadas de carreira, o grupo recordou as raízes portuguesas por onde sempre navegou para um público mais velho, mas que nem por isso deixou de estar imparável. À hora de fecho da edição, os Paus e Vitorino & Som Habanero preparavam-se para entrar em cena, numa noite que ainda iria contar com Linda Martini, Tim, Jorge Palma e Paulo Gonzo, com o encerramento a ser assegurado pelos Mastiksoul. O Sol da Caparica termina hoje, com as atuações de Agir, Tiago Bettencourt e Luís Represas, entre outros (15 euros o bilhete).

Amanhã, o dia é dedicado às crianças e às famílias, com as entradas a custarem dois euros. (cmjornal.xl.pt)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA