Cuando Cubango: Destacado contributo da igreja na pacificação dos espíritos

igrejas do município de Luanda (Foto: Angop)

Menongue – A directora provincial da Cultura no Cuando Cubango, Carla Cativa, considerou domingo, em Menongue, que a participação da igreja na pacificação dos espíritos tem contribuído significativamente para a harmonia e bem-estar social.

igrejas do município de Luanda (Foto: Angop)
igrejas do município de Luanda (Foto: Angop)

Carla Cativa prestou tais declarações quando procedia ao encerramento do terceiro acampamento nacional das mulheres da Igreja Evangélica Congregacional de Angola (IECA), que decorreu de 19 a 22 de Agosto em Menongue sob o lema: “Busquemos a transformação das nossas vidas escutando a voz de Deus”.

Segundo Carla Cativa, a IECA, como um instrumento de graça divina, no âmbito da sua missão e visão, tem trabalhado plenamente para satisfação das comunidades, sem distinção de credo religioso e nem área geográfica, respeitando a estrutura orgânica e funcional da igreja.

Enalteceu a realização do evento, por permitir a troca de experiência entre mulheres provenientes de distintas províncias, bem como a administração de palestras, cujos conteúdos servirão de ferramentas para as mulheres enfrentarem com sabedoria os desafios do momento.

“É muito salutar a vossa presença aqui por terem convivido e bebido de mais experiências durante cinco dias”, realçou.

Numa breve resenha histórica, informou que A IECA, foi fundada a 11 de Novembro de 1880, uma instituição reconhecida ao abrigo do decreto executivo nº9/87 de 24 de Janeiro, a 1º série nº 7 por missionários americanos e canadianos.

Acrescentou que aquela instituição religiosa tem por fim a manutenção de cultos e a propagação da fé cristã, bem como a manifestação desta em serviços e virtudes úteis, com destaque para o amor ao próximo.

Sobre a relação entre a igreja e o Estado, a responsável destacou que tem sido promovido o diálogo entre confissões religiosas e instituições públicas, realçando a notoriedade que os líderes religiosos exercem na promoção da paz e reconciliação nacional.

Salientou que o Estado vai continuar a garantir através das políticas públicas definidas, o diálogo e concertação com as igrejas e ceitas, cujas doutrinas e práticas alterem os bons hábitos, a ordem e a tranquilidade pública, assim como a cultura da sociedade angolana. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA