Contrato dos submarinos foi “assinado e depois alterado à socapa”

(D.R)

José Magalhães diz haver provas de que Paulo Portas fez “cedências” na compra dos submarinos aos alemães.

(D.R)
(D.R)

À margem do lançamento de ‘Submarinos.PT’, José Magalhães concedeu uma entrevista ao jornal Público, adiantando que o livro explica alguns dos aspetos “essenciais” que não foram abordados na cobertura mediática do ‘famoso’ processo.

O deputado do PS começa por referir que o debate mediático sobre o caso dos submarinos foi “orquestrado para afastar a atenção dos aspetos centrais para o focar em aspetos periféricos”. E dá uma pista: “houve recuos e aceitação de cláusulas extraordinárias, como aquela que obrigou o Estado a pagar 63 milhões de euros por entre a assinatura e a entrada em vigor terem mediado vários meses”.

O socialista acaba por ir mais a fundo na questão e aponta a mira da responsabilidade a Paulo Portas. “Há provas no processo dos vários atos através dos quais ele [Portas] determinou que o Estado português fizesse cedências”.

“Na minha experiência de contratação pública não me lembro de um contrato ser assinado e depois alterado à socapa e não ser fiscalizado pelo Tribunal de Contas com acesso a toda a documentação”, remata. (noticiasaominuto.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA