“Com gaffes destas, António Costa não precisa de inimigos”

(DR)
(DR)
(DR)

Maria de Belém anunciou esta semana que se irá candidatar às presidenciais.

Marques Mendes considera que há aspetos positivos mas também negativos na candidatura de Maria de Belém às presidenciais. E o antigo líder do PSD não tem dúvidas em afirmar que “este é o facto político mais importante desta semana”.

“Já se imaginava que fosse candidata”, mas não esta semana, afirmou Marques Mendes no seu comentário semanal na antena da SIC, antes de realçar os pontos que considera mais positivos.

“Maria de Belém, com este anúncio, demonstrou coragem de agir e capacidade de decisão”, afirmou, acrescentando que a socialista fê-lo mesmo enfrentando “resistência” inclusive de setores socialistas.

O comentador acrescenta ainda que a candidatura “surge já com alguns apoios muito importantes”, casos de Marçal Grilo, Manuel Alegre ou Vera Jardim, especificou. Porém, falta ainda “saber se esta candidatura não tem por trás o dedo de António Guterres e se não poderá ter no futuro o seu apoio”, especulou.

Entre os aspetos negativos, Marques Mendes considera que não devia ter anunciado a candidatura esta semana, por ter prejudicado António Costa em termos de atenção mediática, na semana em que o secretário-geral regressou de férias. Além do mais, “o anúncio foi feita na segunda-feira, quando António Costa estava na SIC”, apanhando o líder socialista desprevenido, sugeriu.

Recuperando este e outros casos, Marques Mendes considera, em tom irónico que, “com gaffes destas, António Costa não precisa de inimigos”, destacou o ex-líder social-democrata, acrescentando que, na sua perspetiva, caso Costa vença legislativas, é mais provável que o apoio às presidenciais recaia sobre Sampaio da Nóvoa. Em caso de derrota, será Maria de Belém a ter mais probabilidades de contar com o apoio oficial do PS. (noticiasaominuto.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA