Casas de câmbio compram 61,4 milhões USD ao BNA

(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)

Novacâmbios liderou lista das 41 casas de câmbio que compraram divisas ao BNA, em Junho, no valor de 1000 milhões USD, 11,5% do total. Empresas de remessas adquiriram ao banco central 18,8 milhões USD.

O Banco Nacional de Angola (BNA) disponibilizou em Junho, no âmbito das vendas direccionadas, às casas de câmbio e às operadoras de remessas de valores, por intermédio dos bancos, 61,4 milhões USD, indica o boletim cambial publicado na passada semana no seu website.

Deste montante, 35,8 milhões USD foram vendidos às casas de câmbio, 18,8 milhões USD às operadoras de remessas e 6,8 milhões às operadoras dos bancos comerciais. No documento, o banco central informa que, desde Fevereiro último, passou a aliar as suas intervenções no mercado cambial com base nos leilões de preços às vendas direccionadas de divisas às casas de câmbio e empresas de remessas a outras operações de carácter prioritário definidas pelo Executivo e plasmadas no Instrutivo n.º 04/15.

As vendas direccionadas de divisas, justifica o boletim, resultam da necessidade de o BNA assumir a responsabilidade de intervenção no mercado cambial para satisfazer as acções definidas como prioritárias “num contexto de diminuição das disponibilidades cambiais e elevado e elevado risco de desequilíbrio no mercado cambial, redução dos stocks alimentares e de matérias- primas, bem como de eventual paralisação dos serviços essenciais ao funcionamento da economia”.

A Novacâmbios liderou a lista das 41 casas de câmbio que compraram divisas ao banco central, em Junho, ao adquirir 4,1 mil milhões USD, o que corresponde a 11,5% do total de 35,8 milhões USD, seguida da Sportcâmbios e da Universal, com 2,5 milhões USD (7,1%) e 2,4 milhões USD (6,8%), respectivamente.

O Top 5 é complementado ainda pela Nev, que comprou 2 milhões USD (5,7%) e Transglobal, que adquiriu 1,8 milhões USD (5%). Entre as empresas de remessas, a Real Transfer, do mesmo grupo da Novacâmbios, foi a campeã, ao ficar com 6,8 milhões USD (36,2%) do total disponibilizado pelo BNA. Nas posições seguintes posicionaram-se a Maxpay, com 4,4 milhões USD (23,4%), a Spot Moneygram, com 3,1 milhões USD (16,8%), a Goo Transfer, com 2,7 milhões USD (14,4%), e a Rucâmbio Maxpay, com 1,1 milhões USD (5,8%).

Leilões especiais para casas de câmbio

O BNA vai dar início, nos próximos dias, à realização de leilões específicos para a venda de divisas às casas de câmbio inseridas no mercado financeiro angolano, com vista a restituir o seu normal funcionamento. A medida, anunciada na passada semana pelo governador do banco central, José Pedro de Morais Jr., no final da 8.ª sessão ordinária conjunta da Comissão Económica e da Comissão para a Economia Real do Conselho de Ministros, visa conceder também maior transparência à venda de divisas a estas instituições.

Pedro de Morais justificou a realização de tais leilões, em que serão vendidas divisas a preços muito próximos aos do mercado, para, segundo deu a entender, pôr fim às dúvidas que surgem sobre os critérios sempre que o órgão regulador do mercado bancário e cambial tem de tomar decisões discricionárias.

A medida é parte do processo de fragmentação de vendas de divisas a implementar pelo BNA, no qual estão incluídos outros dois leilões, sendo o primeiro de carácter regular – onde serão canalizadas as prioridades já definidas pelo Executivo (abastecimento, alimentar, medicamentos, matérias- primas, bem como peças e acessórios) – e o segundo de carácter esporádico, para atender às necessidades que não serão absolvidas no leilão regular.

O governador disse tratar-se de um processo cujo circuito das operações cambiais vai ter a monitorização do BNA, o que não acontecia antes, considerando ser esta uma oportunidade para as casas de câmbio voltarem ao seu funcionamento regular. (expansao.ao)

Por: Francisco de Andrade

DEIXE UMA RESPOSTA