Cardeau garante permanência

(jd.ao)

O novo técnico do Bravos do Maquis, Alberto Cardeau, prometeu na cidade do Lubango trabalhar.

(jd.ao)
(jd.ao)

O novo técnico principal do FC Bravos do Maquis, Alberto Cardeau, prometeu, no domingo, na cidade do Lubango, trabalhar com empenho e de forma árdua para garantir a permanência da equipa no Girabola de 2015, em que a equipa da província do Moxico ocupa actualmente a décima quinta e penúltima posição com 19 pontos, na iminência da despromoção.

Alberto Cardeau, que assumiu o comando da equipa após o técnico português Vitor Manuel ter abandonado o cargo por alegada falta de condições de trabalho face a crise financeira que assola o clube, revelou que aceitou o desafio com o objectivo de tirar a formação maquisarde da posição incómoda em que se encontra.

O técnico disse estar ciente do grau de dificuldades que o desafio apresenta em função da classificação da equipa e do número de pontos que são necessários para evitar a despromoção. Ainda assim, espelhou crença e convicção. “A situação do Maquis está complicada, mas assumimos esse compromisso com o objectivo de tirar a equipa da posição em que se encontra.

Hoje a equipa tem uma outra atitude, outra postura. Por isso acredito que com o trabalho que vamos desenvolver iremos melhorar. Tenho muita fé e muita esperança de que vamos conseguir manter a equipa na Primeira Divisão”, prometeu.

O técnico que falava no final da partida a contar para a 22ª jornada da competição, em que a sua equipa perdeu diante do Desportivo da Huíla por 1-0, no Estádio do Ferrovia, no Lubango, reconheceu que o resultado não satisfez os objectivos do grupo que esperava vencer para encetar a fuga aos lugares de despromoção, mas com o desaire continua na décima quinta posição, com 19 pontos.

“Tentamos fazer o melhor nesse jogo contra o Desportivo da Huíla. Sabíamos que seria um jogo muito difícil. O resultado acabou por não servir os nossos interesses que passava por vencer”, desabafou. A equipa, cuja direcção assumiu-se como candidata ao título do Girabola de 2015, consentiu doze derrotas, sendo três em casa e nove fora, em 22 jogos.

O Maquis obteve cinco vitórias, quatro empates, marcou 24 golos e sofreu 29 a saída da 22ª jornada da prova, uma produtividade bastante pobre que relega a equipa do leste para a décima quinta e penúltima posição com 19 pontos. Na próxima jornada, a 23ª da prova, o Bravos do Maquis recebe em casa o Progresso da Lunda Sul. (jd.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA