Candidato do PS defende ideia que o partido diz ser “um disparate”

(D.R)

A ideia defendida pelo PSD-CDS para “proteger as gerações futuras” é também defendida por Paulo Trigo Pereira, um dos nomes apontados para a pasta das Finanças num eventual Governo socialista.

(D.R)
(D.R)

Paulo Trigo Pereira, o independente que é candidato do Partido Socialista pelo círculo de Setúbal, defende a introdução de um limite à dívida pública na Constituição, uma ideia defendida no programa da coligação e que os socialistas já rotularam de “disparate”.

Segundo o jornal i, o economista, que fez também parte da lista de especialistas que elaborou o plano macroeconómico do PS, defende esta ideia no seu livro ‘Dívida Pública, Défice Democrático’, de 2012.

A ideia, diz Paulo Trigo Pereira neste livro, é “constitucionalizar um limite que as gerações presentes possam impor às gerações futuras”.

Porém, mexer na Constituição para impor um limite à dívida está fora de questão para os socialistas. Costa acusou a coligação de “falta de imaginação” por sugeri-la, e João Galamba falou da possibilidade de impor um limite como “um disparate”. (noticiasaominuto.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA