Burundi: Defensor dos direitos humanos autorizado para se tratar fora do país

BANDEIRA DO BURUNDI (Foto: Angop)

Bujumbura – O defensor humanos burundês dos direitos, Pierre-Claver Mbonimpa, gravemente ferido numa tentativa de assassinato na segunda-feira à noite, foi autorizado pela justiça para fazer tratamento no estrangeiro, apesar de um processo aberto contra si desde 2014 por atentado a segurança do Estado, anunciou nesta quinta-feira à AFP a sua família.

BANDEIRA DO BURUNDI (Foto: Angop)
BANDEIRA DO BURUNDI (Foto: Angop)

“A autorização da viagem foi emitida pelo procurador “, declarou à AFP a sua filha Amandine Nasagarare, acrescentando que os médicos recomendaram que Mbonimpa, ainda no hospital em Bujumbura, deve ser transferido ao estrangeiro para tratamento.

A família prevê evacuá-lo “para Nairobi ou Europa (…) dentro de poucos dias”, acrescentou.

O estado de saúde de Mbonimpa, que sofreu segunda-feira à noite um tiro no rosto disparado por homens de motorizada em Bujumbura, é estável, prosseguiu a sua filha, mas “ainda é incapaz de falar e só se exprime por gesto”.

Mbonimpa, figura respeitada da defesa dos direitos humanos no Burundi, é perseguido pela justiça por ter afirmado que os Imbonerakure – membros da Liga da Juventude do partido no poder CNDD-FDD – recebiam formação paramilitar no leste da vizinha República Democrática do Congo (RDC).

Ele foi libertado sob caução no final de Setembro de 2014, após quatro meses e meio de prisão preventiva neste caso, mas estava proibido de deixar o país.

Mbonimpa, prémio Henri Dunant em 2011 pelo seu engajamento a favor dos direitos humanos, denuncia há anos assassinatos de opositores burundeses. É também uma figura do movimento de contestação que iniciou em finais de Abril contra um terceiro mandato do presidente Pierre Nkurunziza.

A tentativa de assassinato de Mbonimpa foi amplamente interpretada como uma resposta ao assassinato um dia antes do general Adolphe Nshimirimana, homem forte do sistema de segurança burundês, morto num ataque de roquete. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA