BFA, BAI e BIC “açambarcaram” metade dos dólares vendidos pelo BNA em Junho

(EXPANSAO)
(EXPANSAO)
(EXPANSAO)

O Banco de Fomento Angola (BFA), Banco Angolano de Investimento (BAI) e Banco BIC ficaram com quase metade dos dólares vendidos pelo Banco Nacional de Angola (BNA) no mês de Junho de 2015, revela o boletim cambial divulgado esta segunda-feira, 3 de Agosto, pelo banco central.

Ao divulgar os nomes dos bancos a quem vende as divisas no mercado primário, o BNA torna o mercado cambial mais transparente, consideram analistas contactados pelo Expansão que saúdam o retomar desta prática.

Em Junho último, o BNA vendeu 2.219,7 milhões USD aos bancos comerciais, tendo os referidos três bancos ficado com 1.092,6 milhões USD, o equivalente a 49,2% das “verdinhas” vendidas pelo banco central.

O BFA liderou as compras com 386,7 milhões USD ou 17,9% do total, seguido do BAI (393,1 milhões USD; 17,2%) e do BIC (302,7 milhões; 13,6%). A quota dos três bancos em termos de divisas é superior à de activos, que não excede os 42,3%. Comparando com Junho de 2014, as vendas de USD pelo BNA baixaram 15,3%.

Nesse mês, BFA, BAI e BIC ficaram com “apenas” 41,1% dos 2.620 milhões USD vendidos, indiciando que o mercado de divisas ficou mais concentrado em 2015. Um indício que não passa disso mesmo, já que o boletim cambial só tem dados de Junho, e um mês é pouco para tirar conclusões definitivas.

Dos 2.219,7 milhões USD vendidos pelo BNA em Junho de 2015, 1.094 milhões foram com base em leilões de preço, e 1.125 milhões, através de vendas direccionadas a sectores específicos e operações, de acordo com as prioridades estabelecidas em aviso do banco central. Para além das divisas adquiridas ao BNA, os bancos compraram, em Junho último, 208 milhões USD aos respectivos clientes, no chamado mercado secundário, contra 1.240 milhões no ano transacto, um trambolhão de 83,2%. Um trambolhão justificado pelo facto de, a partir de Novembro de 2015, o banco central ter proibido as petrolíferas de venderem dólares aos bancos comerciais.

Somando os mercados primário e secundário, isto é, as compras de divisas pelos bancos ao BNA e aos clientes, conclui-se que o mercado global de divisas em Angola caiu 37%, de 3.860 milhões USD em 2014 para 2.428 milhões USD, este ano. A escassez de divisas é justificada pela queda do preço do petróleo, praticamente a única fonte de divisas do País – em 2014 o petróleo respondeu por cerca de 97,4% das exportações totais. (expansao.co.ao)

por Carlos Rosado de Carvalho

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA