Artistas angolanos sobem hoje ao palco para pedir libertação de jovens

Luanda (Foto: Portal de Angola)
Luanda (Foto: Portal de Angola)
Luanda (Foto: Portal de Angola)

Músicos, atores, artistas angolanos juntam-se hoje em Luanda para um concerto de solidariedade para com os 15 jovens ativistas detidos desde junho, o segundo evento em Angola, com o mesmo propósito, em apenas quatro dias.

A organização anunciou que o evento integra a campanha “Liberdade Já”, a favor deste grupo de jovens angolanos detidos pelo alegado envolvimento na preparação de um golpe de Estado, surgindo depois da manifestação de quarta-feira, também em Luanda, em que outros ativistas saíram à rua igualmente para exigir a libertação.

Na manifestação de quarta-feira, a polícia carregou sobre os manifestantes, reprimindo a iniciativa.

“Não podemos ser indiferentes a esta situação flagrante, que põe em causa a liberdade de todos nós. Acreditamos que o silêncio, além de nos tornar cúmplices de uma grande injustiça, é também o maior algoz da nossa liberdade”, recorda a organização deste concerto.

Segundo informação anterior enviada à Lusa pela Procuradoria-Geral da República (PGR) de Angola, os 15 jovens detidos desde 20 de junho – estudantes e licenciados – estariam a preparar, em Luanda, um atentado contra o Presidente José Eduardo dos Santos e outros membros dos órgãos de soberania, num alegado golpe de Estado, mas ainda não têm qualquer acusação formada.

A iniciativa de hoje pretende “apelar ao direito à liberdade de expressão e de pensamento” em Angola.

“A demora na apresentação das evidências que provem o alegado crime tem causado uma enorme onda de indignação em várias esferas da sociedade angolana e também no seio da comunidade internacional”, acrescentam os promotores.

Para este espetáculo estão anunciadas as presenças de Abada Capoeira – Zwela Hungu, Laurinda Manuel Gouveia, Manuel Victoria Pereira, MC K, Jack Nkanga, Mona Dya Kidi, Sábio Louko & Ngamba Spoken Word, Pretos Racionais, Sanguinário, Jang Nómada, Emmanuel Pittra, Globo 112, Fat Soldiers e Dinamene.

“Pretendemos, assim, unir as nossas vozes por uma Angola em que possamos todos participar do seu crescimento, com os olhos secos e com o coração livre do medo”, rematam.

Associados ao designado Movimento Revolucionário, os jovens detidos alegam que se encontravam regularmente para discutir intervenção política e cívica, inclusive com ações de formação, como a que decorria na altura de detenção e que envolveria também a leitura e análise de um livro sobre estas matérias.

De acordo com a PGR, os detidos em prisão preventiva são Henrique Luaty Beirão, Manuel “Nito Alves”, Afonso Matias “Mbanza-Hamza”, José Gomes Hata, Hitler Jessy Chivonde, Inocêncio António de Brito, Sedrick Domingos de Carvalho, Albano Evaristo Bingocabingo, Fernando António Tomás “Nicola”, Nélson Dibango Mendes dos Santos, Arante Kivuvu Lopes, Nuno Álvaro Dala, Benedito Jeremias, Domingos José da Cruz e Osvaldo Caholo (tenente das Forças Armadas Angolanas).

O concerto de hoje está agendado para as 16:00 (mesma hora em Lisboa), no Centro Cultural Elinga Teatro, na cidade de Luanda. (noticiasaominuto.com)

por Lusa

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA