Apreendidas embarcações de pesca em zona de exclusão marítima

Apreendidas embarcações de pesca (D.R)

As autoridades policiais apreenderam neste final de semana quatro embarcações que pescavam numa zona de exclusão marítima, junto aos blocos petrolíferos na localidade do Soyo, província do Zaire.

Apreendidas embarcações de pesca (D.R)
Apreendidas embarcações de pesca (D.R)

A operação foi desencadeada por uma equipa multi-sectorial que integrou também órgãos da capitania de Luanda e dos serviços de fiscalização do ministério das Pescas.

O comandante da Unidade Fiscal Marítima de Luanda, superintendente-chefe Firmino Uyamba, afirmou nesta segunda, em Luanda, que as forças policiais foram chamadas a intervirem no bloco 18, em função da presença de embarcações que pescavam no perímetro restrito de segurança da companhia.

Informou que foram também encontradas quantidades não especificadas de estupefacientes no interior das embarcações, sendo que uma delas, denominada “Pérola do Mar”, já é reincidente em pescar em zonas de exclusão marítima.

Fez saber que após a criação de um posto de comando na Unidade Fiscal Marítima, que integra órgãos como a capitania de Luanda e os serviços de fiscalização das Pescas, foi reforçado o patrulhamento nas zonas petrolíferas.

O oficial da Polícia Nacional disse ser necessário encontrar uma penalização que desencoraje este tipo de práticas.

Já o director de comunicação da BP Angola, António Vueba, notou que as embarcações que navegam a volta dos blocos petrolíferos correm vários riscos, apelando aos seus utentes a absterem-se de pescar nas zonas de exclusão.

Disse que a instituição tem estado a realizar testes em poços, o que pode trazer alguns fluidos de petróleo e gás que provoca um impacto negativo a embarcação e seus ocupantes.

“A indústria de petróleo e gás faz um investimento de milhões de dólares e não podemos permitir que embarcações não autorizadas afectem aquilo que é o recurso principal de receitas do Governo angolano”, expressou.

Entretanto, Tomás David, mestre duma das embarcações apreendidas, declarou que, em princípio, não tinham interesse em pescar na referida zona porque estavam de passagem.

“Mas como nos deparamos com muito cardume na área, iniciamos então a pesca e foi nesta altura que fomos surpreendidos pelas autoridades (…)”, explicou. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA