Anunciada a construção de novos centros de saúde

(ja.ao)

O município de Viana pode contar nos próximos meses com mais dois centros de saúde de referência, disse, ontem, o administrador municipal José Caterça.

(ja.ao)
(ja.ao)

As novas unidades estão a ser erguidas nas zonas do Zango II e do Quilómetro 28, informou Manuel Caterça. “Apenas em alguns casos há necessidade de transferir pacientes para os grandes hospitais de Luanda, pois temos centros equipados e com atendimento rápido e de qualidade nas áreas de pediatria e de maternidade .”

A construção de novas infra-estruturas  dão ao município uma outra dinâmica, disse Manuel Caterça. “Isto tem atraído mais pessoas para habitar em Viana”.

A reparação das vias em Viana decorre a bom ritmo, disse o administrador municipal. “Há alguns meses, as ruas estavam numa situação muito critica, mas nos últimos dias tem registado melhorias, facilitando a circulação”.

A falta de iluminação na estrada principal de Viana te os dias contados, disse o administrador municipal.

Acrescentou que “existe um plano de alargamento da via que  facilita a circulação entre cidade de Luanda e o novo aeroporto internacional em construção na zona do Bom Jesus  e tão-logo terminem as obras fica resolvido o problema da iluminação”. Todas as anomalias que existem ao longo da via são solucionadas em conjunto, como a iluminação pública, a montagem de passagens pedonais aéreas, o sistema de circulação de táxis e de outros transportes públicos.

“É um projecto do Ministério da Construção”. O administrador municipal de Viana considerou as zonas do Capalanga, Caop e Zango como áreas de risco, pelo facto de muitas pessoas insistirem em construir em valas de drenagem. De acordo com o administrador,  a fiscalização tem feito um trabalho de sensibilização para desencorajar a construção nessas zonas, mas esses  esforços não têm sido suficiente.

“Muitos insistem em desobedecer às autoridades para depois serem realojadas noutras residências”, disse Manuel Caterça.
O elevado nível de delinquência, que torna o município uma das zonas mais críticas de Luanda, é uma preocupação para as autoridades municipais. “Pensamos que esta situação é consequência da extensão demográfica do município. Isto é preocupante, porque todos os dias há registos de homicídios com arma de fogo e assaltos à mão armada”, concluiu Manuel Caterça.

A venda ambulante tem sido a principal causa do desordenamento do trânsito e de outros transtornos que a população de Viana vive nos últimos dias. Manuel Caterça considera que esta prática tem sido frequente por causa da indisciplina e desobediência das pessoas.

A Administração Municipal, referiu, tem feito apelos para que os cidadãos deixem de vender nas ruas. Além do risco que correm, disse, esta situação não contribui para uma boa imagem do município.

“É preciso que os compradores não estimulem esses actos. Só existem vendedores porque existem pessoas para comprar. Muitos  mercados, no município de Viana, encontram-se vazios e não estão muito distante das estradas principais”, concluiu Manuel Caterça. (ja.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA