Antropóloga brasileira dá palestras em Luanda

(ja.ao)

A Faculdade de Ciências Sociais da Universidade Agostinho Neto realiza hoje, em Luanda, às 10h00, uma conferência subordinada ao tema “Tradição, Poder e espaço público: Uma análise sobre a resolução de conflito entre os bakongo de Luanda”.

(ja.ao)
(ja.ao)

A conferência, que decorre no anfiteatro da Faculdade de Ciências, tem como prelectora a antropóloga e docente universitária brasileira Luena Nascimento Nunes Pereira, autora de um livro intitulado “Os bakongo de Angola: etnicidade, religião e parentesco num bairro de Luanda”, lançado na segunda-feira na capital angolana.

A secretária da vice-decana para os Assuntos Científicos da Faculdade de Ciências, Isabel de Azevedo, disse ontem ao Jornal de Angola que o colóquio insere-se num ciclo de conferências que marcam a abertura do segundo semestre do ano lectivo, que termina na próxima segunda-feira.

As conferências são abertas a investigadores, professores, estudantes universitários e ao público em geral. Ontem, a antropóloga brasileira dissertou sobre “A religião e o parentesco entre os bakongo de Luanda”.

A docente da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro disse que o tema surgiu de uma pesquisa que teve início em 1990, quando refugiados angolanos, maioritariamente provenientes da província do Zaire, chegaram ao Brasil.

Luena Nascimento Nunes veio pela primeira vez a Luanda em 1998 para um trabalho de pesquisa para a tese de mestrado, na sequência do qual inteirou-se do processo do regresso dos refugiados, as relações entre si, as suas tradições, religião e o parentesco entre os bakongo de Luanda.

O ciclo de palestras teve início na sexta-feira, com o lançamento do livro “O Paradoxo angolano. Uma política externa em contexto de crise (1975-1994)”, da autoria de José Maria Nunes Pereira. (ja.ao)

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA