Angola vai continuar a defender ideais democráticos no continente

Presidente da Assembleia Nacional, Fernando Dias dos Santos (à dir.), recebe secretário executivo dos Grandes Lagos, Ntumba Luaba (Foto: Clemente Santos)

A República de Angola vai continuar a defender os desígnios da paz, estabilidade e democracia em África, quando assumir a presidência do Fórum Parlamentar da Conferência da Região dos Grandes Lagos, confiou hoje, o secretário executivo da Conferência Internacional da sub-região, Ntumba Luaba Alphonse.

Presidente da Assembleia Nacional, Fernando Dias dos Santos (à dir.), recebe secretário executivo dos Grandes Lagos, Ntumba Luaba (Foto: Clemente Santos)
Presidente da Assembleia Nacional, Fernando Dias dos Santos (à dir.), recebe secretário executivo dos Grandes Lagos, Ntumba Luaba (Foto: Clemente Santos)

O responsável, que falava nesta quinta-feira à imprensa, no final de um encontro com o presidente da Assembleia Nacional (AN), Fernando da Piedade Dias dos Santos, frisou que em Dezembro do corrente ano, Luanda será a capital do Fórum Parlamentar e espera-se o contínuo fortalecimento da paz e democracia na região e no continente.

“O encontro com o presidente da Assembleia Nacional serviu para renovar a intenção da realização do Fórum Parlamentar em Luanda. Portanto, temos a esperança de que quando Angola assumir a liderança os objectivos continuarão a ser defendidos”, disse.

Por outro lado, sublinhou que um dos aspectos que preocupam o Fórum Parlamentar dos Grandes Lagos é o combate das forças negativas no Leste do Congo Democrático, estabilidade no Burundi, depois das eleições realizadas recentemente, bem como a instabilidade no Sudão do Sul.

Angola, que vai acolher de 1 a 3 de Dezembro, a VI sessão plenária do Fórum Parlamentar da Conferência da Região dos Grandes Lagos, foi aprovada como membro de pleno direito do referido fórum.

O Fórum Parlamentar da Conferência Internacional da Região dos Grandes Lagos foi institucionalizado em 2008, no Ruanda.

A aprovação de Angola como membro da organização aconteceu em Novembro de 2014, sendo esta a sua primeira participação oficial.

Quanto à representação nas assembleias plenárias, é constituída pelos presidentes do parlamento de cada Estado-membro e por cinco representantes eleitos para o fórum, por cada parlamento nacional, obedecendo a uma representação feminina de um terço e a equidade dos partidos políticos com assento parlamentar. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA