Analista diz que governo angolano usa métodos coloniais para reprimir

(DR)
(DR)
(DR)

O analista político Pedro Capracata  considera que o Governo de Angola usa os mesmos  métodos de  repressão que as autoridades coloniais portuguesas adoptaram contra os nacionalistas angolanos. O também advogado afirmou que as reivindicações actuais  dos jovens são as mesmas que os  políticos no poder em Angola fizeram  às autoridades coloniais.

O analista sustenta que a classe política actualmente no poder não têm qualquer experiência democrática de governação a não ser a que herdou do colonialismo assente na ditadura repressiva e intolerante.

Pedro Capracata entende que a alteração do  actual modelo  político é uma reivindicação legítima quando exigida sob formas pacíficas e constitucionalmente aceites.

Entretanto, o Bloco Democrático (BD) diz em comunicado que, de forma reincidente, as autoridades judiciais e do Ministério do Interior, a polícia e o partido governamental têm feito tudo para impedir o direito constitucional dos cidadãos se manifestarem, criminalizando simples direitos adquiridos e usando a força coerciva.

O BD acusa o partido no poder  de  lançar povo contra povo, ao realizar uma contra-manifestação.

Aquele partido político considera que  o entendimento sobre o que é democracia está muito longe de ser consensual no país e que a prática das instituições em nada se assimila ao que está postulado na Lei e na Constituição.

O BD condenou   as perseguições feitas a activistas e jornalistas  bem como a agressão desmedida a pessoas que se deslocaram ao Largo Primeiro de Maio na passada semana. (voa.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA