Americano que evitou massacre no comboio francês trabalha nos Açores

(DR)
(DR)
(DR)

Foi o primeiro a avançar para travar o atirador. A coragem de Spencer Stone impediu uma tragédia num comboio de alta velocidade.

Um dos três americanos que conseguiram travar o tiroteio que podia ter acabado em massacre num TGV que ligava Amesterdão a Paris é um dos militares destacados na Base das Lajes.

Spencer Stone, de 23 anos, pertence à Força Aérea norte-americana mas está a trabalhar nos Açores, segundo a tenente Alexandra Trobe, do gabinete de informação da Base das Lajes, em declarações ao Diário de Notícias.

O militar estava de férias com dois amigos, Alek Skarlatos e Anthony Sadler. Com ajuda de um treinador de râguebi britânico, Chris Norman, os três conseguiram imobilizar o atacante.

De espingarda Kalashnikov em punho o marroquino Ayoub El Kahzzani começou a disparar sobre os passageiros. Estava identificado pelas autoridades espanholas como tendo ligações a um movimento islâmico radical.

Spencer Stone correu 10 metros para chegar ao atirador, apesar do risco de ser abatido. “Foi o primeiro a atirar-se sobre ele, foi ele que levou facadas e ficou ferido. Nenhum de nós ficou ferido, mas o Spencer ficou e não teve medo”, contou Anthony Sadler à Reuters.

“Era o nosso amigo, então se ele foi, nós tivemos de ir também. Não podíamos deixar todos morrerem. Foi uma situação louca”, acrescenta.

O jovem sofreu ferimentos numa mão durante a luta e saiu ontem do hospital, em França. Deve regressar à Base das Lajes no fim das férias. (noticiasaominuto.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA