Alemanha anuncia retirada da Turquia

(AFP/GETTY IMAGES)
(AFP/GETTY IMAGES)
(AFP/GETTY IMAGES)

Antes do fim do ano, o governo alemão encerrará sua participação na missão da OTAN no sudeste turco, que visava proteger país contra possíveis ataques da Síria. Berlim considera que perigo de agressão diminuiu.

Antes do fim deste ano, o governo alemão vai encerrar sua participação na missão da OTAN para proteger a Turquia contra possíveis ataques originados da Síria. De acordo com notícia publicada neste sábado (15/08) pela edição online do semanário Der Spiegel e confirmada por um porta-voz do Ministério da Defesa alemão, foi determinada a retirada de 250 soldados e de unidades antiaéreas de mísseis Patriot implantados na fronteira sudeste da Turquia. O processo de retirada vai durar meses.

O porta-voz do Ministério da Defesa disse que a ameaça a que o território turco estava exposto perdeu a intensidade. Há dois anos e meio, baterias de mísseis Patriot estão estacionadas na cidade de Kahramanmaras, a 100 quilómetros da fronteira com a Síria, para repelir possíveis ataques de mísseis sírios. O actual mandato alemão, cuja prorrogação por mais um ano foi aprovada em Berlim no início deste ano, expira em 31 de Janeiro de 2016.

Por outro lado, com a recente escalada de violência na Turquia, o Exército alemão foi obrigado a aumentar as medidas de segurança para as suas tropas estacionadas em Kahramanmaras, com o estabelecimento de um toque de recolher. Os soldados só podem sair do quartel em trajes civis e por motivos relacionados com a missão. A vigilância do quartel foi reforçada por forças turcas. (dw.de)

MD/efe/dpa

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA