Al-Jazeera: Três jornalistas condenados a três anos de prisão

(euronews.com)
(euronews.com)
(euronews.com)

Tribunal egípcio condena três jornalistas da Al-Jazeera a três anos de prisão por apoio à Irmandade Muçulmana, que entretanto foi ilegalizada.

O egípcio Baher Mohamed, o canadiano Mohamed Fahmy e o australiano, Peter Greste, que foi entretanto deportado, foram acusados pelo juiz de terem difundido informações falsas e de transmitirem «propaganda sem autorização».

O diretor-geral do grupo ao qual pertence o canal de televisão do Qatar, já criticou a sentença afirmando que “o caso foi politizado e não foi nem imparcial nem justo”.

Greste, Fahmi e Mohamed foram detidos em dezembro de 2013 no Cairo, quando cobriam a repressão que se seguiu à deposição de Mohamed Morsi. Foram condenados pela justiça egípcia, em junho de 2014, a penas entre 7 e 10 anos de prisão. O processo acabou por ser anulado e Peter Greste deportado para a Austrália, em fevereiro deste ano. (euronews.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA