África ajuda Sumol+Compal a mais que triplicar lucros

(Foto: D.R.)

No primeiro semestre, empresa de bebidas teve um resultado líquido de 4,2 milhões de euros, depois de ter reforçado presença nos mercados africanos.

O lucro da SUMOL+COMPAL mais que triplicou no primeiro semestre, face a igual período do ano passado, para 4,2 milhões de euros. No primeiro semestre do ano passado, o resultado líquido foi de um milhão de euros.

A empresa “registou, no primeiro semestre de 2015, um bom desempenho operacional e financeiro, especialmente sentido entre Abril e Junho, suportado em condições favoráveis em Portugal e também no reforço da presença das suas marcas em mercados africanos”, refere a SUMOL+COMPAL, em comunicado.

As vendas totais subiram 20,7% para 166,4 milhões de euros, “com a facturação no mercado português a atingir 111,6 milhões de euros, mais 12,7%, enquanto as restantes geografias continuam a mostrar um forte desempenho, especialmente o continente africano, permitindo a actividade internacional vendas de 54,8 milhões de euros, mais 42,1%”, acrescenta. No semestre, o peso da actividade internacional foi de 32,9%. O volume de negócios da SUMOL+COMPAL ascendeu a 170 milhões de euros, uma subida de 19,9% face ao período homólogo de 2014.

“Em Portugal, as condições climatéricas favoráveis, em especial no segundo trimestre, a evolução positiva da economia nos primeiros seis meses do ano, beneficiando do aumento da confiança dos consumidores, bem como do crescimento do turismo e, no exterior, o reforço de operações directas e a entrada de novos mercados, especialmente em África, suportaram os bons resultados operacionais e financeiros registados” pela empresa no semestre.

O resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) aumentou 27,2% para 21,3 milhões de euros e o resultado operacional (EBIT) cresceu 42,5% para 15,1 milhões de euros. Em volume, as vendas da SUMOL+COMPAL aumentaram 7,5% para 199,3 milhões de litros, com as vendas dos refrigerantes a avançarem 8,5% para 101,8 milhões de litros. As vendas de sumos e néctares avançaram 7,1% para 52,8 milhões de litros e as das águas 9,4% para 27 milhões de litros, enquanto nas cervejas houve um decréscimo ligeiro.

Produção em Luanda arranca no final do ano
“Paralelamente às exportações, a SUMOL+COMPAL mantém actividade fabril em Moçambique enquanto se ultimam os trabalhos para o arranque da operação na unidade industrial do Bom Jesus, nos arredores de Luanda, esperando-se que a produção industrial de Compal em Angola tenha início no terceiro trimestre deste ano”.

Nos primeiros seis meses do ano, a conjuntura “foi, de facto, favorável à operação da SUMOL+COMPAL”, no entanto “deve ter-se em conta também o reforço da diferenciação das nossas marcas, a aposta continuada na internacionalização, a qualidade e inovação dos produtos disponibilizados no mercado e também as nossas pessoas que com o seu talento e empenho tornaram possíveis estes resultados”, afirma o presidente executivo, Duarte Pinto, citado no comunicado.

“Estamos conscientes do desafio, mas queremos continuar a aproveitar este enquadramento até final do exercício de forma a consolidarmos a performance registada no primeiro semestre”, concluiu o presidente executivo da SUMOL+COMPAL. (publico.pt)

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA