A tática que Passos e Portas passaram aos cabeças de lista

(D.R)
(D.R)
(D.R)

Líderes de PSD e CDS deram aula aos candidatos sobre qual deve ser a mensagem da coligação durante a campanha

Não inventar, pedir maioria, marcar uma clivagem com o PS, acreditar na vitória e manter a coesão entre os dois partidos. Podem resumir-se nestes cinco mandamentos as lições que os líderes do PSD e CDS deram no último sábado aos cabeças de lista da coligação.

Paulo Portas abriu e Passos Coelho fechou uma reunião – realizada em Quarteira, à porta fechada, antes da festa do Pontal – com os primeiros nomes de PSD e CDS em cada distrito, onde foram afinadas agulhas para aquela que deve ser a mensagem da coligação.

Com tantos problemas com cartazes, marketing político e confusões de mensagens a contaminar esta fase da campanha, a direção da coligação quis assegurar que todos os cabeças de lista recebiam a mensagem principal de forma direta: “Menos promessas, mais ênfase no trabalho feito”.

O cabeça de lista da coligação por Viana do Castelo, Carlos Abreu Amorim, explica que foi passada pelos líderes a mensagem que “não é tempo de fazer promessas”. (dn.pt)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA