Zaire: Secção de oftalmologia do hospital provincial atende 15 pacientes por dia

ZAIRE: ESPECIALISTA CUBANO EM OFTALMOLOGIA, ORLANDO RODRIGUEZ GINERTE (Foto: Pedro Moniz)

Mbanza Congo – Quinze pacientes com problemas oculares são atendidos diariamente na secção de oftalmologia do hospital provincial do Zaire.

ZAIRE: ESPECIALISTA CUBANO EM OFTALMOLOGIA, ORLANDO RODRIGUEZ GINERTE (Foto: Pedro Moniz)
ZAIRE: ESPECIALISTA CUBANO EM OFTALMOLOGIA, ORLANDO RODRIGUEZ GINERTE (Foto: Pedro Moniz)

De acordo com o médico oftalmologista em serviço nesta unidade sanitária, Orlando Rodriguez Ginerte, as cataratas, os transtornos da refracção, os processos infecciosos e os glaucomas são as principais patologias da visão que mais se registam.

Explicou que, além do glaucoma e a catarata que requerem intervenções cirúrgicas, outras complicações oculares que chegam ao hospital são facilmente atendidas na secção de oftalmologia, que reúne equipamentos modernos para o tratamento de casos mais simples.

Esclareceu que as cirurgias às cataratas e os glaucomas aguardam pela entrada em funcionamento das novas naves construídas no recinto hospitalar, que proporcionará mais or espaço para a acomodação dos equipamentos necessários, com destaque para as lentes intra-oculares e os bisturis, que brevemente estarão disponíveis tão logo entre em funcionamento o novo espaço que deverá acolher a secção de oftalmologia.

Enquanto isso, disse que aumenta o número de pacientes com cataratas que acorrem ao hospital provincial.

“Há muitos casos de cataratas que requerem cirurgia entre a população adulta, que temos transferido à Luanda, Benguela ou ao centro local de saúde da Igreja Evangélica Baptista em Angola (IEBA), que regularmente promove campanhas de cirurgias a esta doença em parceria com algumas unidades sanitárias do ramo no país”, sublinhou o especialista cubano em oftalmologia.

Considerou a catarata ser uma doença degenerativa que tem a ver com a idade da pessoa, provocada pelo envelhecimento de uma determinada estrutura da vista, com maior incidência a partir dos 40 anos de idade.

Aponta a falta de uma óptica para a venda e configuração de lentes graduadas na província como uma desvantagem para os pacientes acometidos com o problema de visão, que são obrigados a deslocarem-se à capital do país, Luanda, para a aquisição de lentes.

O médico descreve a vista como “a janela do mundo”, por isso chama a atenção para a necessidade da observância de cuidados para a sua manutenção em perfeitas condições de saúde, lembrando existirem medicamentos suficientes para atender os casos que dispensam tratamento cirúrgico nesta unidade hospitalar.

Recomenda medidas higiénicas oculares redobradas, boas condições de iluminação em residências ou locais de trabalho, entre outras, para uma melhor conservação da visão.

O hospital provincial do Zaire, em Mbanza Congo, conta com apenas um especialista em oftalmologia. Segundo o responsável, o mesmo precisará de mais quatro especialistas do ramo, com a entrada em funcionamento em breve de outras áreas de serviços afins a nível deste hospital.

O dia mundial da saúde ocular, 10 de Julho, foi proclamado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), para servir de reflexão sobre a importância da boa visão e como manter saudável esse órgão que constitui um dos sentidos mais importantes da vida.

Segundo estimativas da Organização Mundial da Saúde, aproximadamente 314 milhões de pessoas têm algum tipo de deficiência visual em todo o mundo, sendo que 45 milhões delas são cegos. Mais de 75% poderiam ser evitados ou curados, caso fossem observadas com rigor medidas preventivas. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA