Zaire: Preços de venda de inertes inquietam munícipes de Mbanza Congo

Brita (DR)
Brita (DR)
Brita (DR)

Munícipes de Mbanza Congo, capital da Província do Zaire, expressaram hoje, quarta-feira, a sua preocupação quanto aos preços praticados na comercialização de alguns materiais de construção, com maior incidência para inertes.

Em declarações à Angop, foram unânimes em afirmar que tais preços estão longe de corresponderem com a real capacidade financeira de muitos citadinos de Mbanza Congo que tudo fazem para concretizar o sonho de casa própria.

Manuel Nsoki, munícipe, disse que os preços actuais de venda de inertes a nível da região só favorecem aqueles cidadãos com um poder financeiro aceitável, pelo que aconselha as entidades competentes para inverterem o quadro.

“ Por exemplo, uma carrada de areia de 14 metros cúbicos está a custar 65 mil kwanzas, enquanto a de brita é vendida a 75 mil. Uma carrada de pedras para alicerce é comercializada a 80 mil kwanzas. Quanto é que um cidadão de baixa renda deve desembolsar para erguer uma casa com as mínimas condições”, desabafou.

Por sua vez, Ambrósio Teka, citadino, o município de Mbanza Congo em particular e a província do Zaire, em geral, detém potencialidades consideráveis de inertes, para quem as entidades afins deveriam regular os preços de venda praticados por parte das empresas que exploram estes materiais.

Em sua opinião, a venda de inertes a nível do município sede deveria também envolver cidadãos nacionais em vez só de expatriados (chineses) que muitas vezes praticam preços especulativos.

“ O país de forma geral e o município de Mbanza Congo, em particular, está em fase de reconstrução. Muitos cidadãos estão a remodelar e a erguer novas casas para proporcionar um outro conforto às suas residências. Portanto, se houvesse preços acessíveis na venda de materiais de construção, sobretudo de inertes, muitos citadinos teriam hoje casas com as mínimas condições”, asseverou.

Recentemente a direcção provincial do Zaire da indústria, geologia e minas realizou, em Mbanza Congo, um encontro com as empresas que exploram inertes na região onde foi analisado e discutido os actuais preços praticados na venda desses materiais sem, no entanto, produzir resultados palpáveis.

Fonte da direcção provincial da indústria, geologia e minas disse à Angop que está a ser elaborada uma nova tabela de preços de venda de inertes a nível dos seis municípios da região que deverá ser publicada nos próximos dias. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA