Zaire: Mbanza Congo completa 509 anos da existência

Mbanza Congo (Foto: Pedro Moniz Vidal)
Mbanza Congo (Foto: Pedro Moniz Vidal)
Mbanza Congo (Foto: Pedro Moniz Vidal)

A cidade de Mbanza Congo, capital da província do Zaire, completa neste sábado 509 anos da sua existência, numa altura em que se regista um crescimento nos mais variados domínios.

Contactados pela Angop, a respeito da efeméride, vários munícipes afirmaram que desde o alcance da paz definitiva no país, em 2002, a cidade tem vindo a conhecer melhorias substanciais em diversas áreas contribuindo, deste modo, para a melhoria das condições de vida dos seus habitantes.

Pedro Jorge, munícipe, assegurou que o estado actual da cidade de Mbanza Congo reflecte os esforços que o governo provincial em geral e a administração municipal, em particular, têm vindo a empreender para proporcionar uma imagem diferente à localidade e garantir o bem-estar dos seus populares.

“Outrora, muitos consideravam a cidade de Mbanza Congo como uma das mais atrasadas do país em termos de desenvolvimento, mas hoje a realidade é diferente. Temos uma cidade com outra imagem”, asseverou.

Fundamentou o seu ponto de vista pelo facto de a cidade contar presentemente com diversos serviços sociais, principalmente nos domínios da educação, saúde e vias de comunicação.

“Nos últimos 12 anos só circulávamos em ruas de terra batida onde a lama e a poeira se interagiam. Hoje, o cenário é diferente. Temos vias asfaltadas em algumas artérias da nossa cidade. Quem não vê porque não quer ver”, referiu.

Por sua vez, António Soares, funcionário público há mais de 16 anos, disse que quando chegou a Mbanza Congo em 1999, a cidade apresentava um quadro desolador em termos de infra-estruturas e vias de comunicação, uma realidade que se contrasta com o estado actual.

Reconheceu que apesar de muito ainda faltar para proporcionar uma vida digna aos habitantes desta histórica cidade, algo está a ser feito pelas entidades governamentais locais.

“Em minha modesta opinião, para que a cidade dê um salto qualitativo, o governo deve direccionar as suas acções em três principais eixos: reabilitação das vias urbanas, energia eléctrica e água potável”, sugeriu, para quem esses vectores são essenciais para um crescimento harmonioso da cidade.

O 25 de Julho, escolhido pelas autoridades governamentais locais para a celebração das festas da antiga capital do reino Congo, foi em 1506 institucionalizado pelo rei Nimi a Likeni, fundador da corte real do então reino, como também uma data em que os reinos a si adjacentes se deslocavam a Mbanza Congo para pagar tributo.

O programa das festividades que decorrem sob o lema: “Angola 40 anos: Mbanza Congo rumo à candidatura para o património mundial”, inscreve actividades culturais, desportivas e recreativas.

Reserva ainda a inauguração de alguns empreendimentos sociais, assim como a realização nesta noite, no largo Dr. António Agostinho Neto, de uma sessão musico -cultural a ser abrilhantada por artistas locais e nacionais. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA