Voo MH17: Veto russo não impedirá Ucrânia de punir culpados, diz Kiev

(AFP)
(AFP)
(AFP)

A Ucrânia garantiu, nesta quarta-feira, que não vai desistir de punir os culpados pela queda do voo MH17 da Malaysia Airlines, depois do veto russo a uma resolução da ONU para a criação de um tribunal especial sobre o caso.

“A Ucrânia não vai parar aqui. Nosso objectivo é punir os culpados”, declarou o porta-voz da presidência, Svyatoslav Tsegolko, citando o presidente Petro Poroshenko, alguns minutos depois do veto russo no Conselho de Segurança da ONU, em Nova York.

Hoje, a Rússia vetou no Conselho de Segurança uma resolução para criar um tribunal especial para julgar os responsáveis pela queda do voo MH17 sobre o leste da Ucrânia, em Julho de 2014, que provocou a morte de 298 pessoas.

Onze dos 15 membros do Conselho de Segurança votaram em favor do texto, redigido por Austrália, Bélgica, Malásia, Holanda e Ucrânia. A Rússia vetou, enquanto Angola, China e Venezuela se abstiveram.

A sessão do Conselho começou com um momento de silêncio em homenagem às vítimas.

“Sobre quais fundamentos se pode assegurar que a investigação será imparcial?”, questionou o embaixador russo na ONU, Vitaly Churkin, em discurso no Conselho após a votação.

Churkin perguntou ainda como esse tribunal poderia resistir a um “agressivo fundo de propaganda na media”.

A Rússia elaborou um projecto alternativo de resolução que não inclui um tribunal, mas que pede uma investigação internacional completa.

Antes, o ministro malaio dos Transportes, Liow Tiong, fez um apelo aos membros do Conselho para que adoptassem a resolução, afirmando que um tribunal de Justiça seria o mais adequado.

“Todas as pessoas que viajam de avião estarão mais expostas a riscos, se os autores não prestarem contas”, alegou.

O voo MH17 foi derrubado em 2014 por rebeldes do leste da Ucrânia durante um confronto entre as Forças Armadas de Kiev e os separatistas pró-russos. (afp.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA