UNAC pretende intensificar cooperação com congéneres internacionais

Arnaldo Calado - Presidente da UNAC (Foto: Pedro Parente)
Arnaldo Calado - Presidente da UNAC (Foto: Pedro Parente)
Arnaldo Calado – Presidente da UNAC (Foto: Pedro Parente)

A União Nacional dos Artistas e Compositores (UNAC-SA) prevê implantar, nos próximos tempos, um programa de intensificação das relações de cooperação com as suas congéneres africanas e europeias, para melhor defender os direitos dos criadores nacionais.

A informação foi avançada hoje, segunda-feira, à Angop, em Luanda, pelo presidente da UNAC-SA, Arnaldo Calado, a margem da abertura da reunião do Comité Africano da CISAC (Confederação Internacional das Sociedades de Autores e Compositores), que encerra quinta-feira.

A UNAC – SA, lembrou, é membro de associações de autores a nível mundial, há muito anos, facto que poderá beneficiar os artistas nacionais, com músicas registadas.

“Se essas músicas registadas forem consumidas em outro país, ela deverá ser cobrada”, referiu.

Exortou aos artistas nacionais no sentido de primarem mais pela qualidade das suas obras musicais, por serem a sua fonte de receitas.

“Os artistas devem primar mais pela qualidade, por estarmos numa sociedade cada vez mais dinâmica e competitiva, onde os melhores conseguem sobreviver, fruto do seu trabalho”, argumentou.

Segundo o responsável, se o músico tiver uma obra com qualidade poderá viver do seu trabalho, caso contrário está sujeito a desaparecer do mercado.

Apelou aos artistas no sentido de serem mais criativos e não imitarem apenas os consagrados ou os trabalhos já feitos por outros cantores, porque desta forma não obterão sucesso.

No encontro, que decorre no Palácio dos Congressos, participam mais de 30 sociedades de direitos de autores africanas e da CISAC, bem como entidades ligadas ao sector oriundas da Europa. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA