Silva Mateus apresenta candidatura às presidenciais em Angola

Av Marginal de Luanda (VOA)
Av Marginal de Luanda (VOA)
Av Marginal de Luanda (VOA)

O presidente da associação 27 de Maio, Silva Mateus, considerou “intimidatórias” as declarações do presidente José Eduardo dos Santos ao associar as consequências de tentativa de golpe de Estado de 1977 à detenção dos quinze jovens activistas .

Em Angola continuam a fazer polémica as declarações do chefe de Estado José Eduardo dos Santos na última reunião do comité central do MPLA. Destas vez as críticas são feitas por Silva Mateus, presidente da associação 27 de Maio, que considerou “intimidatórias” as palavras do presidente da republica ao associar o episódio das detenções dos quinze jovens activistas à tentativa de golpe de Estado de 27 de Maio de 1977, da qual este é sobrevivente.

Silva Mateus, dissidente do MPLA, disse ainda que será candidato às eleições presidenciais que terão lugar no país em 2017, e lançou um desafio ao presidente José Eduardo dos Santos de disputarem o cargo de presidente do partido no poder no próximo congresso que está previsto para 2016.

Os dois principais partidos de oposição também lamentaram o discurso do presidente angolano. Alcides sakala, porta-voz da UNITA, afirmou que o actual executivo está à deriva quando prende os jovens que apenas estão a reflectir os problemas que afectam o país. Já o presidente da CASA CE, Abel Chivukuvuko, alertou para aquilo que considera ser a psicose do golpe de Estado.

Recorde-se que esta semana na ultima reunião do comité do MPLA, José Eduardo dos Santos, disse que os angolanos não devem ser expostos a situações dramáticas idênticas a de 27 de Maio de 1977, e chamou de tiranos “àqueles que pretendem derrubar o governo eleito”, numa clara alusão aos jovens do denominado Movimento Revolucionário. (rfi.fr)

1 COMENTÁRIO

  1. Não entendemos,o SILVA Mateus sendo dissidente do MPLA, possa candidatar-se a presidente do mesmo em concorrência com o Eduardo dos Santos e, concomitantemente, muito menos à presidente da república por razões constitucionais.

DEIXE UMA RESPOSTA