Relvas a presidente da SLN/Galilei

Miguel Relvas. (Foto: D.R.)
Miguel Relvas. (Foto: D.R.)
Miguel Relvas.
(Foto: D.R.)

O ex-ministro tem uma atividade dinâmica em Angola, ajudado por Titto Martins, enteado do presidente José Eduardo dos Santos.
Com a anunciada saída de Fernando Lima, o grão- mestre do Grande Oriente Lusitano (GOL), da presidência da SLN/Galilei, o nome do ex-ministro Miguel Relvas é um dos preferidos pelos acionistas para assumir a presidência do grupo. As ligações do antigo governante adjunto a Angola, onde a SLN/Galilei tem vários negócios, são um dos grandes argumentos a favor de Relvas, mas os acionistas ainda não chegaram a um acordo total.

Miguel Relvas, assim como Manuel Dias Loureiro, tem tido uma grande atividade empresarial em Angola nos últimos meses, ajudado por Titto Martins, enteado do presidente da república José Eduardo dos Santos, com muitos conhecimentos da realidade empresarial angolana. A Sociedade Lusa de Negócios (SLN), antiga dona do Banco Português de Negócios (BPN), tem várias áreas de interesse em Angola. Nos petróleos, a SLN/Galilei é dona da ACREP – Exploração Petrolífera SA, que tem um poço ativo no Bloco 4.

A Cimentos Nacionais de Angola (CNA) aguarda a decisão das autoridades angolanas em relação à adenda ao contrato de investimento que formaliza a entrada de novos acionistas. Mais um assunto em que os conhecimentos de Miguel Relvas seriam preciosos. Na área do imobiliário, a SIMOINVEST arrancou com a construção do condomínio Jardins da Restinga no Lobito.

A SLN/Galilei continua a desenvolver contactos com as autoridades angolanas para a entrada do grupo na área da saúde. Tal como o próprio disse, “a marca Relvas ainda é muito forte”, resta saber se este é o desafio que convém ao homem que já foi o braço-direito do atual primeiro- ministro, Passos Coelho. Para castigo serás nomeado novo cônsul em Nova Iorque. As nomeações no Ministério dos Negócios Estrangeiros começam a pôr a cabeça à roda a muita gente.

O último episódio ocorreu com a nomeação de um novo cônsul português em Nova Iorque. O lugar será ocupado por uma funcionária diplomática que se incompatibilizou com o secretário de Estado das Comunidades, José Cesário, depois de ter feito a cabeça em água aos colegas quando estava em Paris. Ora toma lá um prémio! (cmjornal.xl.pt)
Por: Miguel Alexandre Ganhão

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA