Potências têm pouco mais de 24h para chegar a acordo com Irão

Os ministros das grandes potências, incluindo o secretário de Estado americano, John Kerry, estão em Viena, na Áustria, para as negociações sobre o programa nuclear iraniano. (REUTERS/Carlos Barria)
Os ministros das grandes potências, incluindo o secretário de Estado americano, John Kerry, estão em Viena, na Áustria, para as negociações sobre o programa nuclear iraniano. (REUTERS/Carlos Barria)
Os ministros das grandes potências, incluindo o secretário de Estado americano, John Kerry, estão em Viena, na Áustria, para as negociações sobre o programa nuclear iraniano.
(REUTERS/Carlos Barria)

As negociações sobre o programa nuclear iraniano chegaram ao ponto do “agora ou nunca”. Os ministros das grandes potências, incluindo o secretário de Estado americano, John Kerry, retomaram nesta segunda-feira (6) as conversas em Viena, na Áustria, e têm, teoricamente, até a meia noite de terça para fechar um acordo.

A parte técnica avançou bastante, segundo a chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, mas o Irão ainda não cedeu a uma exigência dos ocidentais que são as inspecções em locais militares suspeitos de serem usados para a fabricação de armas atómicas.

Outro ponto de atrito não resolvido é ritmo do levantamento do embargo comercial contra o Irão. O governo iraniano quer que o embargo seja suspenso com a assinatura do acordo, mas os europeus e os Estados Unidos defendem uma suspensão gradual, relacionada com as inspecções da Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA).

A China, que participa das negociações, estima que um acordo é possível. Mas, em Viena, já circulam rumores de que as negociações podem ser prolongadas até 9 de Julho.

Após 13 anos sem um acordo definitivo, Estados Unidos, Rússia, China, Reino Unido, França e Alemanha esperam que o Irã aceite modificar seu programa de forma que seja praticamente impossível produzir uma bomba nuclear. Em troca, as potências se comprometem a reduzir as sanções que pesam sobre a República Islâmica. (rfi.fr)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA