Portugal: Bolsa nacional cai pressionada pela descida do BCP

(jornaldenegocios.pt)
(jornaldenegocios.pt)
(jornaldenegocios.pt)

A bolsa nacional inverteu da tendência de ganhos e segue a descer, contrariando a tendência positiva que impera no resto da Europa. A justificar a descida da bolsa está, essencialmente, a queda do BCP.

O PSI-20 desce 0,27% para 5.661,69 pontos, com 10 acções em queda, sete em alta e uma inalterada. Já os congéneres europeus estão a subir, animadas pelas notícias de fusões e aquisições e a recuperarem da maior queda num período de cinco dias este ano.

Na bolsa nacional a acção que mais penaliza o índice é a do BCP, que desce 3,72% para 7,2 cêntimos, depois de ter reportado na segunda-feira, 27 de Julho, ao final do dia, os resultados referentes ao primeiro semestre. O Banco Comercial Português apresentou um lucro de 240,7 milhões de euros nos primeiros seis meses do ano, o que supera os 150 milhões de euros esperados pelos analistas compilados pela Reuters.

Os analistas do CaixaBI salientam que houve um “desempenho positivo ao nível da conta de resultados, ainda que sustentado em itens de natureza não recorrente.” Do lado negativo, os analistas desta casa de investimento realça a queda da margem financeira e o aumento do crédito malparado “o que indicia uma aceleração ao nível da deterioração da qualidade da carteira de crédito no mercado doméstico.”

Nuno Amado, presidente do BCP, considerou ontem que “não há nenhum bloqueio estratégico” a propósito do arrastar da eventual fusão com o BPI. Para Amado, a prioridade é “tornar o banco mais forte”, o que será benéfico com ou sem fusão. No final do ano haverá novas metas estratégicas.

No resto da banca, o BPI, que revela os seus números do primeiro semestre na quarta-feira, 29 de Julho, está a descer 0,29% para 1,04 euros. O Banif está a ceder 1,56% para 0,63 cêntimos.

A reagir aos resultados do primeiro semestre está também a Galp Energia, mas neste caso em terreno positivo. As acções da petrolífera estão a subir 0,94% para 10,195 euros. O resultado líquido da petrolífera aumentou de 115 milhões de euros, no primeiro semestre de 2014, para 310 milhões de euros nos primeiros seis meses deste ano. A subida dos lucros reflecte, segunda a empresa, “a melhoria das margens de refinação na Europa”. Os números superaram as estimativas dos analistas do CaixaBI que apontavam para um lucro de 288 milhões de euros.

Ainda no sector da energia, a EDP desce 0,03% para 3,536 euros, a EDP Renováveis avança 1,32% para 6,775 euros. Já a REN cai 0,18% para 2,723 euros.

Já a Semapa, que revela hoje os resultados da oferta de troca de acções por títulos da Portucel, está a subir 0,46% para 12,08 euros, enquanto a Portucel está a cair 0,28% para 3,595 euros. (jornaldenegocios.pt)

por Sara Antunes

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA