Pólos de Lucala e de Massangano com uma área de dois mil e 18 hectares

(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)

De acordo com a Ministra Bernarda Martins, o pólo de Lucala vai contar com uma área estimada em 853 hectares, ao passo que o pólo de Massangano, em Cambambe terá uma área estimada em mil e 165 hectares.

O pólo de Massangano vai comportar, áreas para construção de unidades fabris, comércio, administração e serviços, bem como espaços de utilização mista.

Já o pólo de Lucala está reservado para a instalação de indústrias de materiais de construção, transformadora de produtos agrícolas, enquanto o de Cambambe terá unidades fabris diversificadas.

A ministra da Indústria, disse que este projecto vai contar com um processo de disponibilização imediata de terrenos industriais às empresas interessadas em investir na província, garantindo assim todo apoio institucional para a implementação dos mesmos.

A acção marca igualmente o início do processo de loteamento e infra-estruturação dos espaços para a implantação de unidades fabris.

Por sua vez, o governador provincial do Cuanza Norte, Henrique André Júnior, realçou a importância do aludido projecto para o relançamento do parque industrial da região, pois para si, “ as opções estratégicas de desenvolvimento passam pela concertação de acções que promovam o desenvolvimento regional na perspectiva da harmonização do mosaico nacional”, para que de forma gradual, se reduzam as assimetrias regionais que ainda caracterizam a actual situação do país.

O responsável esclareceu que a escolha duas localidades para albergar os Pólos de Desenvolvimento Industrial deveu-se, fundamentalmente, por reunirem os pressupostos fundamentais a qualquer indústria, como energia, água, acessibilidade rodoviária e ferroviária, o que possibilita a mobilidade das matérias-primas e a expansão das suas produções para outras regiões do país.
instalação de uma vacaria para produção de leite e engorda de novilhos. (semanarioeconomico.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA