Pilotos do acidente do Sumbe foram a enterrar

Vice-presidente da República, Manuel Vicente, homenageia pilotos do acidente aéreo do Sumbe (Foto: Lino Guimarães)

Os restos mortais de Adão Francisco Mateus Filho e de José Custódio Saldanha Novais, respectivamente piloto e o co-piloto do helicóptero da Sonair, despenhado a 2 de Julho, foram hoje, segunda-feira, a enterrar no cemitério do Benfica, em Luanda.

Vice-presidente da República, Manuel Vicente, homenageia pilotos do acidente aéreo do Sumbe (Foto: Lino Guimarães)
Vice-presidente da República, Manuel Vicente, homenageia pilotos do acidente aéreo do Sumbe (Foto: Lino Guimarães)

O vice-presidente da República, Manuel Vicente, assistiu aos funerais, na qualidade de presidente do Conselho Nacional de Viação e Ordenamento do Trânsito.

Manuel Vicente depositou coroas de flores nos túmulos dos finados e transmitiu sentimentos de pesar aos familiares.

Uma mensagem do Conselho Nacional de Viação e Ordenamento do Trânsito sublinha que este junta à perda e dor das famílias e enaltece o contributo na assistência de sinistrados.

Adão Francisco Filho, 46 anos de idade, e José Custódio Novais, de 31 anos, operavam um helicóptero da Sonair, que despenhou com seis pessoas a bordo.

Além dos dois seguiam no helicóptero Filipe José Tchinduamba, motorista do INEMA, Victor da Costa Semedo e a enfermeira Vitoria Miguel, todos angolanos e o técnico de bordo, Lapeur Frederic, de nacionalidade francesa.

Foram  sepultados sábado no Sumbe, Vitória Miguel, Filipe José Tchinduamba, Victor da Costa Semedo.

O helicóptero estava ao seviço do instituto nacional de emergencias medicas de Angola (INEMA) e fazia a rota Sumbe – Waku kungu, na província do Cuanza Sul. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA