ONG diz que peças arqueológicas destruídas pelo Estado Islâmico eram falsas

(Foto: AP)
(Foto: AP)
(Foto: AP)

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH) afirmou neste sábado (4) que as relíquias romanas destruídas pelos militantes do Estado Islâmico em Palmira eram falsas. A ONG defendeu que as peças verdadeiras foram escondidas e serão vendidas no mercado negro.

O grupo jihadista divulgou na Internet esta semana imagens de seus militantes destruindo objectos que teriam sido retirados de Palmira. A cidade síria, que está sob controle do Estado Islâmico, abriga sítios arqueológicos listados no Património Mundial da Unesco.

De acordo com o OSDH, que tem sede em Londres, tudo não passou de uma encenação para encobrir a venda internacional das peças. (sputniknews.com)

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA