No Quénia, Obama diz que discriminação contra homossexuais prejudica liberdade

(AFP)
(AFP)
(AFP)

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse neste sábado ao comentar os direitos dos gays no Quénia que sua mensagem para toda a África é que o Estado não deve discriminar pessoas com base na orientação sexual.

Em entrevista colectiva conjunta ao lado do presidente queniano, Uhuru Kenyatta, Obama disse que tratar as pessoas de forma diferente prejudica a liberdade e, com isso, “coisas ruins acontecem”.

Kenyatta disse que o Quénia e os EUA compartilham muitos valores, mas não em todos os temas. Ele disse ainda que o direito dos gays não é uma questão para o povo queniano.

No Quénia, assim como em muitos países africanos, a homossexualidade é ilegal.

O vice-presidente queniano, William Ruto, disse em maio que “não há espaço” para gays no Quénia. Obama, por sua vez, recentemente saudou uma decisão da Suprema Corte dos EUA que permitiu o casamento entre pessoas do mesmo sexo em solo norte-americano. (reuters.com)

por Jeff Mason

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA