Moçambique: Visita de Nyusi a Portugal centrada no reforço da cooperação bilateral

PRESIDENTE DE MOÇAMBIQUE,FILIPE NYUSI (Foto: AFP)

Lisboa – O presidente moçambicano, Filipe Nyusi, é esperado nesta quarta-feira em Portugal, onde vai efectuar até domingo uma visita de Estado, cujas atenções estão viradas para o reforço das históricas relações de amizade e cooperação existentes entre os dois países, noticia a agência moçambicana AIM.

PRESIDENTE DE MOÇAMBIQUE,FILIPE NYUSI (Foto: AFP)
PRESIDENTE DE MOÇAMBIQUE,FILIPE NYUSI (Foto: AFP)

Na visita de quatro dias, a primeira ao continente europeu e que surge em resposta ao convite formulado pelo seu homólogo português, Cavaco Silva, os dois dirigentes vão passar em revista o estágio actual da cooperação, bem como identificar novas oportunidades para o estreitamento das relações bilaterais.

A embaixadora de Moçambique em Portugal, Fernanda Lichale, disse, no encontro com os jornalistas que acompanham a deslocação do líder moçambicano, haver uma enorme expectativa à volta da visita tanto do país anfitrião quanto da comunidade moçambicana residente em Portugal, mercê das boas relações entre os dois países.

O horizonte de expectativa à volta da visita pode ser facilmente compreendido bastando, para o efeito, olhar para a delegação que acompanha o Chefe de Estado estimada, segundo Lichale, em cerca de 160 individualidades, na sua maioria personalidades do mundo empresarial, o que espelha o forte desiderato de cimentar as relações com o fomento de novas áreas exploração comercial.

Neste âmbito, além de encontros com o seu homólogo e ainda com o primeiro-ministro, Passos Coelho, onde se prevê a assinatura de instrumentos jurídicos, Nyusi reunir-se-á igualmente com homens de negócio cuja tónica dominante será a identificação de oportunidades mútuas de investimento.

No capítulo do investimento directo, o volume financeiro injectado, em 2014, pelo empresariado luso na economia moçambicana atingiu 336 milhões de dólares, com realce para as áreas da agro-indústria, construção civil, finanças (em particular no sector bancário), hotelaria e turismo, energia, transportes e comunicações entre outros.

No entanto, os dois países têm laços de cooperação nos domínios da educação e saúde, existindo actualmente cerca de 400 estudantes moçambicanos (bolseiros e não bolseiros), a frequentar diversos cursos de formação académica, defesa, agricultura e pescas, transportes e comunicações, assim como no apoio ao orçamento.

Desta feita, segundo a chefe da missão diplomática moçambicana, a expectativa é que a visita do Chefe de Estado constitua um valor acrescentado às relações de amizade e cooperação assim como uma janela de oportunidades para o seu incremento.

Além de manter encontros com os dirigentes políticos de Portugal, Nyusi reunir-se-á com a comunidade moçambicana residente em solo lusófono, estimada em pouco mais de três mil moçambicanos.

Fernanda Lichale, que não avançou dados concretos, disse no entanto que as brigadas do Ministério do Interior (MINT), através da Direcção Nacional de Migração, que trabalharam em Portugal no processo de emissão de documentos tanto de identificação quanto de viagem atingiram um número assinalável de pessoas interessadas.

“A nossa vontade é de ver criadas as condições para que os bilhetes de identidade possam ser produzidos a nível local, para poupar os nossos concidadãos dos elevados custos de viagem ao país, para tratar apenas da regularização da sua documentação”, disse Lichale.

Na visita, Nyusi será acompanhado pelos ministros dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Oldemiro Balói, da Educação e Desenvolvimento Humano, Jorge Ferrão, da Indústria e Comércio, Max Tonela, de deputados da Assembleia da República e por uma delegação empresarial, entre outros quadros. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA