Moçambique: Veteranos de guerra apelam à paz

Imagem de Arquivo (AFP FOTO / FERHAT MOMADE)
Imagem de Arquivo (AFP FOTO / FERHAT MOMADE)
Imagem de Arquivo
(AFP FOTO / FERHAT MOMADE)

Os veteranos da luta de libertação não querem o retorno à guerra. O apelo foi feito este sábado, data em que se assinalam os 28 anos do massacre de Homoíne.

Os veteranos de luta de libertação de Moçambique estão preocupados com as constantes ameaças que podem dar lugar a uma nova guerra. A situação pode e deve ser evitada.

Manuel Cambeze é a voz da contestação e apela a um entendimento entre a Renamo, principal força política da oposição, e a Frelimo, partido no poder.

Uma posição assumida pelos veteranos de guerra de Moçambique no dia em que se assinalam os 28 anos do massacre de Homoíne, na província de Inhambane. Segundo dados oficiais, em Homoíne morreram em resultado do ataque brutal da Renamo, antigo movimento rebelde, 424 pessoas. (rfi.fr)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA