Ministro considera agente sanitário elemento chave para consolidação da municipalização

Ministro da Saúde, José Van-Dúnem (Foto: Angop/Arquivo)
Ministro da Saúde, José Van-Dúnem (Foto: Angop/Arquivo)
Ministro da Saúde, José Van-Dúnem (Foto: Angop/Arquivo)

O ministro da Saúde, José Viera Dias Van-Dúnem, considerou hoje, segunda-feira, em Luanda, o agente comunitário e sanitário como um elemento chave para consolidação da municipalização dos serviços de saúde que tem vindo a desenvolver com sucesso.

O goverante fez esse pronunciamento quando discursava no encerramento de um Workshop Nacional dos Agentes de Desenvolvimento Comunitário e Sanitário” promovido pelo Ministério da Administração do Território (MAT).

Para si, a municipalização dos serviços de saúde tem sido positiva com resultado concreto e visível que se traduz na melhoria dos acessos aos serviços de saúde, melhoria das coberturas e da qualidade dos serviços prestados, sustentado pelo reforço notável das capacidades institucionais do serviço de saúde a nível local.

Este resultado advêm do investimento que o Executivo tem desenvolvido para descentralização dos municípios para os recursos financeiros, humanos e patrimoniais acompanhado por acções de formação supervisão e monitorização, bem como de instrumento orientador visando a consolidação da municipalização.

“Evidencia está o facto de Angola ser reconhecido a nível internacional como um país livre da polomielite. Este ganho deve-se aos esforços de todos nós particularmente a nível local. Felicitando deste modo os administradores e equipas municipais de saúde a prosseguirem com a consolidação dos benefícios já alcançados”, ressaltou.

Este formandos que iniciam a formação terão a tarefa de formar, ainda este ano, 1.080 novos ADECOS (Agentes de Desenvolvimento Comunitário e Sanitário) e até 2017, perfarão mais 14.000.

O workshop realiza-se no âmbito de uma iniciativa conjunta dos Ministérios da Saúde e da Administração do Território e marca o início da implementação de um programa do Executivo, que é a Política Nacional do Agente de Desenvolvimento Comunitário e Sanitário (PNADECOS).

De acordo com a estratégia de intervenção do programa, prevê-se para o presente ano a formação e enquadramento de mil e oitenta (1.080) agentes, em 18 municípios de seis províncias de Angola, nomeadamente Bengo, Lunda-Norte, Malanje, Moxico, Uíge e Luanda. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA