Militantes do MPLA instados a aumentar a produção agrícola

LUZIA INGLÊS - COORDENADORA DO GRUPO PARLAMENTAR DO MPLA DE ACOMPANHAMENTO A PROVÍNCIA DO BENGO (Foto: Angop)

Quicabo – As famílias camponesas militantes, simpatizantes e amigas do MPLA da comuna do Quicabo, a 35 quilómetros a norte da cidade de Caxito, província do Bengo, foram sexta-feira aconselhadas a aumentar a produção agrícola, com vista contribuir no desenvolvimento sócioeconómico da região e na redução da fome e pobreza.

LUZIA INGLÊS - COORDENADORA DO GRUPO PARLAMENTAR DO MPLA DE ACOMPANHAMENTO A PROVÍNCIA DO BENGO (Foto: Angop)
LUZIA INGLÊS – COORDENADORA DO GRUPO PARLAMENTAR DO MPLA DE ACOMPANHAMENTO A PROVÍNCIA DO BENGO (Foto: Angop)

O apelo foi feito durante um encontro com os militantes do bairro do Berila, comuna do Quicabo, município do Dande, pela coordenadora do grupo parlamentar do MPLA de acompanhamento a província do Bengo, Luzia Inglês.

Na sua intervenção, a deputada fez saber que face a crise internacional do baixo preço do barril de petróleo os camponeses devem ampliar a produção agrícola, diversificando a economia de modo a suprir as despesas no seio das famílias e ajudar o governo a conter várias despesas.

A localidade do Berila é potencialmente rica em produção do milho, feijão manteiga, mandioca, batata-doce em pequenas escalas, laranja, manga, entre outros.

Frisou que o aumento da produção contribuirá para o êxito do Programa de Combate à Fome e à Pobreza, que visa oferecer alimentos suficientes no mercado nacional e contribuir na redução das importações de produtos, sobretudo os produzidos localmente.

Para a responsável, a formação académica e profissional dos militantes deve constituir igualmente uma ferramenta imprescindível para o manuseio das técnicas de produção, tendo apelado a aderirem aos programas de formação no sentido de estarem melhor preparados para lidar com as novas tecnologias usadas na produção agrícola.

Os militantes, simpatizantes e amigos do MPLA na comuna do Quicabo, foram informados sobre a actual situação socioeconómica do país, que tem como fundamento as medidas tomadas pelo executivo em função da queda do preço do barril do petróleo do mercado internacional.

Salientou que os militantes foram instados a mobilizar as famílias camponesas a diversificar a produção agrícola, para que as comunidades encontrem soluções decorrentes desta situação.

A parlamentar assegurou que o momento exige unidade e coesão no seio dos militantes, que devem elevar o nível de consciência para que os desafios do partido virado para o desenvolvimento socioeconómico, sem a dependência do petróleo, seja alcançado.

Na comuna do Quicabo, Luzia Inglês manteve ainda um encontro com o secretariado da comissão executiva do comité local, onde tomou conhecimento do estado actual de organização e funcionamento do partido e visitou as obras de construção do aldeamento “Kikuia”, com 100 residências, a abertura da nova via de acesso da Matunda (numa extensão de 18 quilómetros) e o Comité de Acção do Birila. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA