Mesmo sem chover, nível do Guarapiranga sobe, diz Sabesp

Atualmente, o Guarapiranga é responsável por abastecer o maior número de pessoas na Grande São Paulo e capital, com 5,8 milhões de consumidores (Foto: Estadão Conteúdo)
Atualmente, o Guarapiranga é responsável por abastecer o maior número de pessoas na Grande São Paulo e capital, com 5,8 milhões de consumidores (Foto: Estadão Conteúdo)
Atualmente, o Guarapiranga é responsável por abastecer o maior número de pessoas na Grande São Paulo e capital, com 5,8 milhões de consumidores (Foto: Estadão Conteúdo)

Mesmo sem registrar chuva nas últimas 24 horas, o nível do Sistema Guarapiranga subiu pela quarta vez consecutiva nesta segunda-feira, 6, segundo boletim da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). Já o Cantareira, considerado principal manancial de São Paulo, voltou a ficar estável.

Atualmente, o Guarapiranga é responsável por abastecer o maior número de pessoas na Grande São Paulo e capital, com 5,8 milhões de consumidores. Os reservatórios que compõem o sistema operam com 77,3% da capacidade: 0,5 ponto porcentual a mais do que no dia anterior, quando estava com 76,8%.

Só na primeira semana de julho, o Guarapiranga, que chegou a passar 51 dias sem registrar aumento, já recuperou 2,4 pontos porcentuais do volume armazenado de água. A variação positiva desta segunda aconteceu mesmo sem ter chovido sobre o manancial no dia anterior. Na pluviometria acumulada, no entanto, o Guarapiranga já superou o volume de chuva esperado para o mês inteiro.

Cantareira

Responsável por atender 5,2 milhões de pessoas, o Cantareira opera com 19,7% da capacidade, mesmo valor dos três dias anteriores. O índice, tradicionalmente divulgado pela Sabesp considera duas cotas de volume morto, de 182,5 bilhões de litros de água e de 105 bilhões, acrescentadas ainda no ano passado.

De acordo com o cálculo negativo do sistema, o Cantareira permanece com -9,6%. Já segundo o terceiro índice, o manancial sofreu queda de 0,1 ponto porcentual e está com 15,2% da capacidade. Esse último número leva em consideração o volume armazenado dividido pelo volume útil somado às duas cotas de reserva técnica.

Outros mananciais

Após um dia de estabilidade, o Alto Tietê voltou a registrar aumento de 0,1 ponto porcentual nesta segunda. No sistema, o volume de água represada é de 20,7%. No dia anterior, era 20,6%. Esse índice inclui uma cota de volume morto, de 39,4 bilhões de litro de água.

O nível dos Sistemas Alto Cotia e Rio Claro subiu 0,2 ponto, cada, e os reservatórios operam com 65,5% e 73,8%, respectivamente. O Rio Grande, por sua vez, continua estável com 93,3%. (diariodolitoral.com.br)

por Estadão Conteúdo

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA