Malanje: PCA da Sodepac garante condições criadas para o investimento privado

Carlos Fernandes - PCA do Pólo Agro-Industrial do Capanda (Foto: Clemente Santos)
 Carlos Fernandes - PCA do Pólo Agro-Industrial do Capanda (Foto: Clemente Santos)

Carlos Fernandes – PCA do Pólo Agro-Industrial do Capanda (Foto: Clemente Santos)

O presidente do Conselho de Administração da Sociedade de Desenvolvimento do Pólo Agro-industrial de Capanda (Sodepac), Carlos Fernandes, garantiu no município de Cacuso, que o projecto em referência tem criadas todas as condições para o investimento privado no ramo agro-pecuário e industrial.

O responsável falava na quinta-feira, no quadro da visita efectuada pelos empresários alemães participantes a 32ª edição da Feira Internacional de Luanda (Filda/2015) à companhia de Bioenergia de Angola (Biocom) e onde se inteiraram do funcionamento do referido pólo.

Segundo o PCA, o pólo está aberto e tem criadas todas as condições para as empresas e empresários que pretendem investir no projecto que passa por água, energia e estradas.

“ Para tal é necessário o cumprimento das regras plasmadas no regulamento de concessão dos direitos de exploração de terras do pólo”, asseverou.

Para o escoamento dos produtos, Carlos Fernandes, disse que o pólo conta com vias em condições que ligam o perímetro à cidade de Malanje, como por exemplo a Estrada Nacional 230 em direcção a cidade de Luanda, bem como às estações do Caminho-de-Ferro de Luanda(CFL) nos municípios de Cacuso, Malanje e Quizenga.

Em relação à água, o responsável salientou que na região chove com frequência durante toda a época chuvosa, para além de que o pólo é atravessado pelo rio Kwanza que é o maior de Angola, onde foi criado uma albufeira a partir da barragem de Capanda, capaz de assegurar a irrigação das fazendas durante o período seco.

Já no concernente a energia eléctrica, Carlos Fernandes fez saber que Malanje conta com a maior barragem hidroeléctrica do país, que está implementada dentro do perímetro do pólo de Capandala onde foram criados ramais que abastecem todas as fazendas.

Fez saber ainda que está em curso uma linha de reforço a partir da barragem, que vai abastecer todos os projectos que se pretende criar no pólo.

O Pólo Agro-industrial de Capanda está implementado na bacia do médio Kwanza, numa área de 411 mil hectares, dos quais, cerca de 293 mil hectares são aproveitados para o desenvolvimento produtivo e 113 mil hectares destinados à conservação ambiental. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA