Líderes europeus à espera de saber o que Alexis Tsipras tem para propor

Chanceler alemã Angela Merkel e Presidente francês François Hollande reuniram-se ontem em Paris. Ofereceram solidariedade à Grécia, mas também pediram responsabilidade ao governo de Alexis Tsipras (Foto: EPA/ETIENNE LAURENT)
Chanceler alemã Angela Merkel e Presidente francês François Hollande reuniram-se ontem em Paris. Ofereceram solidariedade à Grécia, mas também pediram responsabilidade ao governo de Alexis Tsipras (Foto: EPA/ETIENNE LAURENT)
Chanceler alemã Angela Merkel e Presidente francês François Hollande reuniram-se ontem em Paris. Ofereceram solidariedade à Grécia, mas também pediram responsabilidade ao governo de Alexis Tsipras (Foto: EPA/ETIENNE LAURENT)

Primeiro-ministro grego deverá voltar a levantar a questão da reestruturação da dívida na cimeira dos líderes dos países da zona euro.

Os líderes dos países da zona euro reúnem-se hoje em Bruxelas para conhecer o que tem o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, para propor dois dias depois de os gregos terem rejeitado as propostas das instituições credoras. O FMI diz-se “pronto para auxiliar”, mas a sua diretora-geral lembrou que o fundo deixou de poder dar dinheiro à Grécia a partir do momento em que o país falhou o reembolso de 1,5 mil milhões de euros a 30 de junho. Bruxelas acredita “numa solução”, apesar de considerar a situação ser “muito complicada”. Angela Merkel e François Hollande prometeram ontem “solidariedade”, mas também exigiram “responsabilidade”.

“Temos sido solidários com a Grécia”, afirmou a chanceler alemã, no final do um encontro com o presidente francês, em Paris, tendo reiterado a ideia dominante de que o governo grego tem que “respeitar as decisões dos outros 18 governos da zona euro”.

Hollande, por sua vez, considerou que são “os valores que mantêm a Europa unida”, considerando que a União Europeia não é apenas uma “construção financeira e monetária”. Merkel entende que a Europa pode manter-se unida se cada país “assumir as suas próprias responsabilidades”, frisando que a derradeira proposta, apresentada na a 25 de Junho, continha “uma oferta generosa”.

Os líderes da França e Alemanha admitiram que a “se porta mantém aberta” apesar da vitória do “Não” no referendo de domingo. Hoje, esperam que Alexis Tsipras apresente “propostas sérias” aos seus parceiros europeus. (dn.pt)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA