Lewis Hamilton é o piloto mais popular em actividade

Lewis Hamilton (D.R)

Uma pesquisa elaborada por “sites” especializados em automobilismo revelou alguns dados interessantes do mundo da Fórmula 1. Publicado na passada quarta-feira, o estudo indicou que o actual campeão mundial, o britânico Lewis Hamilton, com 19,90 por cento dos votos, é o piloto mais popular em actividade, seguido pelo finlandês Kimi Raikkonen e pelo espanhol Fernando Alonso. O brasileiro Felipe Massa aparece em nono lugar na preferência dos fãs da categoria.

Lewis Hamilton (D.R)
Lewis Hamilton (D.R)

Entre as equipas, a Ferrari lidera o “ranking” de popularidade com 28,20 por cento dos adeptos. A McLaren-Honda é a segunda colocada (21,20 por cento), enquanto a Williams-Mercedes (12,70 por cento), é a terceira mais popular.

Segundo os “sites” Autosport, F1 Racing e Motorsport News, cerca de 35 mil pessoas de todo o Mundo responderam ao questionário, que procurou descobrir as preferências críticas de cada fã da Fórmula 1.

Ainda de acordo com os “sites”, a ideia da sondagem foi identificar as principais fraquezas da categoria, intensificar os seus pontos fortes e dar voz aos fãs para melhorar a principal competição do automobilismo mundial.

Alguns resultados são surpreendentes e demonstram que a categoria ainda é popular entre os fãs, que também não deixaram de fazer críticas. A sondagem revela que 36 por cento das pessoas que responderam assistem a todas as sessões de treinos dos Grandes Prémios e que 65 por cento acompanha assiduamente a categoria nos últimos 15 anos.

Liderada por Lewis Hamilton, a temporada de Fórmula 1 deste ano entrou de férias e só retoma no dia 23 de Agosto, quando se disputar o Grande Prémio da Bélgica, considerado o mais interessante pelos fãs, na sondagem, com 36 por cento dos votos.

GP DE SINGAPURA
MUDA O TRAÇADO

Os organizadores do Grande Prémio de Singapura de Fórmula 1 anunciaram mudanças no traçado do circuito de rua que recebe a prova da categoria. A alteração entre as curvas 11 e 13 visa aumentar o número de ultrapassagens na corrida.

Esta é a terceira modificação no traçado do circuito de Marina Bay desde a sua introdução no calendário da Fórmula 1, em 2008. Em 2009, a curva 13 sofreu uma pequena mudança, com implicações na entrada da curva seguinte e das boxes. Em 2013, a chicana da curva 10 foi substituída por um “cotovelo” para a esquerda.

Desta vez, as modificações vão das curvas 11 à 13. A primeira ficou mais estreita para diminuir a velocidade da chicana que dá sequência à seguinte.


NA HUNGRIA
Massa reclama de carro “lento”

No GP da Hungria do último final de semana, Felipe Massa guiou uma Williams que sequer lutou por posições intermediárias e terminou com o modesto 12º lugar, um à frente do seu companheiro, o finlandês Valtteri Bottas. O brasileiro afirmou que a má gestão do FW37 com os pneus médios foi crucial para a péssima corrida em Hungaroring, onde o alemão Sebastian Vettel levou a Ferrari ao primeiro posto.

“O ritmo era muito, muito ruim. Eu não sei por que”, desabafou Massa. “Nós estávamos lentos, eu especialmente, atrás do tráfego, principalmente por conta dos pneus médios. Eu não poderia conduzir o tráfego, fomos perdendo a aderência sobre o carro. Acho que a melhor temporada foi a última, quando eu era livre para escolher os pneus ainda que eu não fosse rápido”, explicou o vice-campeão mundial de 2008. Durante a semana do GP da Hungria, Felipe Massa já havia alertado sobre as dificuldades que a Williams provavelmente encontraria em Budapeste, onde o circuito possui curvas de baixa velocidade, o que significa um entrave para o bólido da equipa britânica.

No entanto, o paulista de 34 anos acredita que o bom desempenho da Williams nas últimas corridas será retomado no próximo GP, que acontecerá na Bélgica, no dia 23 de Agosto. “Estou 100% confiante. Acho que o que aconteceu (na Hungria) não voltará a ocorrer em todas as corridas”. (jornaldosdesportos.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA