Justiça francesa anula expulsão de Jean-Marie Le Pen da Frente Nacional

(Foto: EPA/ETIENNE LAURENT)
(Foto: EPA/ETIENNE LAURENT)
(Foto: EPA/ETIENNE LAURENT)

Sondagem indica que 73% dos apoiantes do partido de extrema-direita defende a saída definitiva de Le Pen da vida política.

O Tribunal de Grande Instância de Nanterre, nos arredores de Paris, anulou na quinta-feira a expulsão de Jean-Marie Le Pen da Frente Nacional (FN, extrema-direita).

A direção do partido, liderada pela filha Marine, decidiu afastar Jean-Marie Le Pen em maio passado, depois de este ter declarado que as câmaras de gás da Alemanha nazi eram “um pormenor” da história.

A partir de sexta-feira, o fundador da FN pode voltar a usar todos os meios à sua disposição na qualidade de membro do partido, a menos que a decisão seja revogada em tribunal de apelo, disse ao canal de televisão BFMTV o advogado Frédéric Joachim.

Jean-Marie Le Pen, de 87 anos, processou a FN por não concordar com a interpretação da comissão executiva dos estatutos partidários, relativamente à expulsão.

Depois da expulsão de Le Pen, a FN estabeleceu um prazo de três meses para suprimir dos estatutos o artigo relativa à presidência honorária, ocupada por Jean-Marie, e realizar uma reforma no congresso extraordinário deste mês.

A decisão do tribunal de Nanterre implica que o fundador do partido poderá votar neste congresso, juntamente com os restantes membros da FN, acrescentou o advogado.

O vice-presidente da FN e “braço direito” de Marine Le Pen, Florian Philippot, disse à BFMTV que a resolução “não muda grande coisa, já que ninguém pode pensar que Jean-Marie Le Pen, repudiado pela própria filha, continua a falar em nome” do partido.

Na opinião de Philippot, a atual líder partidária “assumiu a responsabilidade” ao decidir expulsar o pai, depois de declarações “inadmissíveis e intoleráveis” e sobre as quais acredita se ter “voltado a página”.

Após a expulsão, Jean-Marie Le Pen anunciou estar disposto a criar uma nova formação que integre os indignados com a atual linha política da FN e seja fiel aos princípios definidos na criação do partido.

Uma sondagem realizada pela empresa YouGov e publicada pelo diário norte-americano Huffington Post e a cadeia de televisão I-Télé indica que 69% dos entrevistados defende a saída definitiva de Le Pen da vida política, percentagem que sobe para 73% entre apoiantes da FN. (dn.pt)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA