Jovens do Prenda no Musongué da Tradição em homenagem a Chico Montenegro

Agrupamento Jovens do Prenda (Foto: Arquivo/José Falso)
Agrupamento Jovens do Prenda (Foto: Arquivo/José Falso)
Agrupamento Jovens do Prenda (Foto: Arquivo/José Falso)

O Jovens do Prenda sobre neste domingo (2 de Agosto) o palco do Centro Cultural e recreativo Kilamba, em Luanda, durante a edição do mês de Agosto do programa Musongué da Tradição, que terá como homenageado o músico Chico Montenegro, um dos seus integrantes.

Neste regresso ao Kilamba, o agrupamento aparecerá na sua máxima força, contando com os préstimos das suas principais vozes, com realce para Didi da Mãe Preta, Augusto Chacaia, Dom Caetano e António Paulino.

Segundo o gestor do espaço, Estêvão Costa, que avançou a informação à Angop, o regresso do também denominado Jovitos ou Velhas Glorias do Prenda é uma respostas as diversas solicitações dos fãs e amantes da música deste agrupamento.

Relativamente a homenagem ao músico Chico Montenegro, Estêvão Costa frisou tratar-se de um reconhecimento do contributo do artista ao longo dos anos em prol da valorização, preservação e divulgação da música angolana.

“É um expoente da música angolana, principalmente no que ao estilo bolero diz respeito. Um valorizador da rítmica angolana de raiz, cujos feitos são enaltecidos por todos os amantes da música nacional”, reforçou a fonte.

Historial do grupo

O grupo foi fundado em 1966 por jovens residentes na comuna do Prenda, tendo como base instrumentos tradicionais de percussão e um violino. Até à data da independência nacional, em 1975, se tornou num dos conjuntos mais populares de Angola.

O grupo lançou o seu primeiro trabalho discográfico em 1982, intitulado “Mutidi” (Viúva), o segundo em 1992, “Samba-Samba” e o terceiro “Kudicola Kwetu”, em 2003.

Entre os precursores da banda, destaca-se Very Nice (tamborista) e António do Fumo (vocalista), ambos já falecidos, Zé Keno (guitarrista), Cangongo (viola-baixo) e Chico Montenegro, ainda no grupo.

Até a independência, os “Jovitos” publicaram pelo menos dez singles e vários long-plays.

Após uma paralisação que durou de 1975 a 17 de Outubro de 1981, reapareceram como uma orquestra com 12 integrantes.

O homenageado: Chico Montenegro, percussionista e cantor

Chico Montenegro (Francisco Miguel António) nasceu em 1952 no Prenda, em Luanda. Iniciou-se nas lides musicais no coro da Igreja Metodista (Bongos só mais tarde) e aprende a tocar o tambor Tarola.

Com o amigo Tony do Fumo, Chico Montenegro entra no grupo de Carnaval “Kasolas do Prenda”. Em 1965, com Very Nice (tamborista), António do Fumo (vocalista), ambos já falecidos, Zé Keno (guitarrista), Cangongo (viola-baixo) formam a banda Jovens do Prenda.

No seu repertório destaca-se temas como “Passagem do Rio”, “Jienda Ya Luanda”, “Longa Marcha”, ” Monami”, “Ah Nguizembe”, “Bolero Jovem”, “Papá Papá”, ” Isabel”, “Lamento de um Filho”, “Teté”, Gienda”, entre outras.

Na sua carreira artística, de mais de 30 anos, Chico Montenegro integrou igualmente o conjunto Fapla Povo.

O Musongué da Tradição tem por objectivo promover e divulgar a música angolana produzida nos anos 60, 70 e 80. O evento faz parte da grelha de programas do Centro Recreativo e Cultural Kilamba.

O espaço foi reinaugurado em Dezembro de 2001, depois de longos anos voltado ao abandono. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA