Jerónimo Martins e BCP arrastam PSI-20 para terreno negativo

(jornaldenegocios.pt)
(jornaldenegocios.pt)
(jornaldenegocios.pt)

O principal índice da praça de Lisboa segue agora a negociar em terreno negativo pressionado sobretudo pelos títulos da Jerónimo Martins e do BCP. No resto da Europa, o sentimento é igualmente de perdas.

A bolsa nacional inverteu o sentimento positivo do arranque da sessão e segue agora no vermelho. O PSI-20 desce 0,74% para 5.747,60 pontos, com 16 empresas em queda e duas em alta. Entre as restantes congéneres, o sentimento é igualmente de perdas. O Stoxx 600, o índice de referência, recua 1,26%. O índice francês CAC 40 lidera as desvalorizações no Velho Continente, ao recuar 1,25%. O índice italiano é o segundo que mais cai, ao perder 1,24%.

O comportamento das praças europeias acompanha o sentimento dos índices asiáticos, que estiveram esta segunda-feira em queda, pressionados pelos receios de um abrandamento económico da China.

Por cá, os títulos da Jerónimo Martins e do BCP são os que mais pressionam a negociação. A retalhista liderada por Pedro Soares dos Santos recua 1,24% para 12,305 euros. Ainda neste sector, a Sonae desce 0,93% para 1,278 euros.

Na banca, o BCP perde 0,90% para 7,67 cêntimos. Antes da abertura do mercado foi conhecido que o Bank Millennium, a unidade polaca do BCP, registou um resultado líquido de 79 milhões de euros nos primeiros seis meses do ano. Este valor representa uma subida de 2,4% face ao primeiro semestre de 2014. A nível trimestral, os lucros do banco polaco aumentaram 1,6% para 40 milhões de euros, valor que superou as previsões dos analistas consultados pela Reuters, que esperavam uma queda de 10%.

Ainda na banca, o BPI cede 0,09% para 1,05 euros e o Banif recua 1,54% para 0,64 cêntimos.

No sector energético, a EDP Renováveis perde 0,71% para 6,82 euros e a EDP desce 0,67% para 3,581 euros. A REN desvaloriza 0,62% para 2,71 euros. Já a Galp Energia contraria a tendência negativa do sector e soma 0,53% para 10,515 euros.

Antes da abertura do mercado, a petrolífera revelou que o seu resultado líquido aumentou de 115 milhões de euros no primeiro semestre de 2014, para 310 milhões de euros nos primeiros seis meses deste ano. A subida dos lucros reflecte, segunda a empresa, “a melhoria das margens de refinação na Europa”. O resultado líquido da Galp Energia superou assim os 288 milhões de euros antecipados pelo Caixa Banco de Investimento.

A Nos perde 0,87% para 7,551 euros. A Pharol recua 1,12% para 35,4 cêntimos.

No papel, a Semapa desce 0,75% para 11,925 euros e a Portucel desvaloriza 1,58% para 3,605 euros. Já a Altri soma 0,19% para 3,766 euros. (jornaldenegocios.pt)

por Ana Laranjeiro

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA