Itália: Director da FAO agradece apoio de Angola

Presidente José Eduardo dos Santos (à dir.) recebe cumprimentos de agradecimento do director-geral da FAO (Foto: Francisco Miudo)
Presidente José Eduardo dos Santos (à dir.) recebe cumprimentos de agradecimento do director-geral da FAO (Foto: Francisco Miudo)
Presidente José Eduardo dos Santos (à dir.) recebe cumprimentos de agradecimento do director-geral da FAO (Foto: Francisco Miudo)

O apoio de Angola à Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) foi reconhecido hoje, terça-feira, em Roma, Itália, pelo director-geral deste organismo internacional, o brasileiro José Graziano da Silva, durante uma audiência a si concedida pelo Chefe de Estado Angolano, José Eduardo dos Santos.

O Presidente da República se encontra na Itália em visita oficial de dois dias, no quadro do reforço da cooperação existente.

“Este apoio do estadista angolano tem se traduzido em muitas iniciativas”, referiu o diplomata brasileiro que, na ocasião, frisou que em especial veio apresentar ao Presidente José Eduardo dos Santos um relatório de prestação de contas do fundo de solidariedade africana, em que Angola contribui com um valor de 10 milhões de dólares a este organismo, cujos escritórios funcionam na capital italiana.

Informou que este fundo de solidariedade africano no geral tem servido para a implementação de projectos em todos os países africanos, especialmente no apoio aos países em conflitos, em situações de emergências, bem como na promoção de jovens no domínio da agricultura.

José Graziano da Silva afirmou que aproveitou, também, o momento para enaltecer a “forte” cooperação que Angola mantém com o governo brasileiro. “Angola tem hoje um dos melhores projectos de cooperação sul-sul com empresas do Brasil, no domínio agro-pecuário”, destacou.

Ao Chefe de Estado angolano, disse o responsável, apresentei uma proposta para que, durante o tempo que Angola estiver como membro não permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas, promova debate sobre a relação da paz e a segurança alimentar.

“Creio que Angola é um dos países exemplo que conseguiu reconstruir a paz e, uma vez alcançada a mesma, caminha a passos acelerados para erradicar a fome. Isso faz do país um modelo a ser seguido por outros estados e acho que o assunto deve ser levado ao Conselho de Segurança da ONU para debate”, ressaltou.

A agenda de trabalho do Presidente Angolano à Itália reserva audiências com entidades italianas, assim como com grupos empresariais e organizações internacionais com sede em Roma. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA