Governador ausculta operadores económicos que trabalham ao longo da fronteira com a Namíbia

António Didalelwa - Governador do Cunene (Foto: José Cachiva)
António Didalelwa - Governador do Cunene (Foto: José Cachiva)
António Didalelwa – Governador do Cunene (Foto: José Cachiva)

O governador provincial do Cunene, António Didalelwa, reuniu, na segunda-feira, com representantes de instituições publicas e privadas, que operam na localidade de Santa-Clara, zona fronteiriça da Namíbia, visando encontrar medidas de controlo da saída da moeda kwanza para a Namíbia e da especulação registada na região.

O encontro, que juntou membros do governo, da Administração Geral Tributaria, alfandegas, Polícia Fiscal e representantes dos banco que operam na zona fronteiriça de Santa-Clara, visou constatar a liquidez do kwanza em instituições bancarias de Angola, fruto da entrada massiva da moeda nacional na Namíbia, face a entrada em vigor do acordo de conversão entre os dois países.

António Didalelwa disse que o encontro teve como objectivo traçar mecanismo de controlo da transação da moeda nacional, o reembolso do kwanza depositado em território namibiano, controlo da venda do dólares namibiano, por parte das kinguilas, de modo a desencorajar a prática de especulação de divisas por parte de aproveitadores.

O acordo de conversão monetária entre o Banco Nacional de Angola (BNA) e o Banco Central da República da Namíbia, em vigor desde 18 de junho, visa facilitar o câmbio directo nas moedas dos dois países, permitindo a conversão entre o kwanza e o dólar namibiano nas cidades fronteiriças de Oshikango e de Santa Clara. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA