Governador anuncia medidas para melhoria do trânsito

Granciano Domingos - Governador de Luanda (Foto: Lino Guimarães)

O governador da província de Luanda, Graciano Francisco Domingos, anunciou nesta sexta-feira um conjunto de medidas, como a construção de vias e o metro de superfície, para melhorar a mobilidade e a organização da cidade.

Granciano Domingos - Governador de Luanda (Foto: Lino Guimarães)
Granciano Domingos – Governador de Luanda (Foto: Lino Guimarães)

Em declarações à imprensa, no final da reunião do Conselho Nacional de Viação e Ordenamento do Trânsito, afirmou que as medidas têm em conta o facto de Luanda ter cerca de seis milhões e meio de habitantes e não dispor de uma rede de transportes colectivos estruturada.

Informou, a título de exemplo, que está a ser construída uma via rápida para o transporte colectivo urbano que vai das imediações do Estádio 11 de Novembro até ao Mercado da Estalagem, em Viana, e uma segunda que partirá do Benfica, passando pelo bairro Patriota, até ao Estádio 11 de Novembro.

Adiantou que já estão construídas na zona da Chicala as pontes pelas quais passará o metro de superfície da Marginal de Luanda ao Benfica, e que provavelmente ligará o município de Cacuaco.

Acredita que, apesar da situação financeira, até finais de 2016/ 2017 tais projectos poderão estar concluídos e vão contribuir para melhorar o tráfego e a organização de Luanda.

Para si, se o comboio funcionar em condições e os autocarros usarem as vias rápidas e se agravar multas para o parqueamento de viaturas será possível reduzir a pressão da circulação automóvel na cidade.

Disse ter sido identificado também na capital o “problema do urbanismo comercial”, com a transformação de residências em áreas comerciais, colégios e institutos médios, contribuindo para o afunilamento do trânsito.

Adiantou que a grande concentração de serviços no centro da cidade leva a que todos os dias se registem movimentos pendulares que partem da periferia para o centro da cidade no período da manhã e de sentido inverso de tarde.

“É necessário que se comece a desconcentrar serviços como os bancos para dispersar o tráfego por várias artérias da área metropolitana”, salientou.

Afirmou que caso a situação financeira conheça melhorias deverão intervir nas vias terciárias e secundárias, com destaque para as da periferia, para melhorar as mobilidade e reduzir a pressão sobre as vias principais, que se agrava principalmente no tempo chuvoso.

Falou também da necessidade de se enquadrar os vendedores de rua em locais aprovados e em respeito à Lei, sobe pena de serem aplicadas sanções aos transgressores.

Para Graciano Domingos, a população deve evitar que a desordem se instale. Não beneficia ninguém. A desordem acaba gerando insegurança para todos.

A reunião do Conselho Nacional de Viação e Ordenamento do Trânsito foi orientada pelo Vice-Presidente da República, Manuel Vicente.(portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA