Gestão das cidades é debatida em Luanda

(RNA)
(RNA)
(RNA)

Os desafios da urbanização e sua administração vão ser discutidos terça-feira num seminário internacional sobre gestão de cidades a decorrer em Luanda, com  representantes do Brasil, África do Sul, Namíbia, Moçambique, Uganda, Zimbabwe e Bélgica, além de responsáveis das embaixadas destes países em Angola.

Numa organização da ONG Development Workshop (DW), em parceria com o Ministério da Administração do Território e da Rede Aliança das Cidades, o encontro, que encerra na quinta-feira, tem como objectivo trocar experiências e difundir as acções de Angola no contexto internacional, além de partilhar as boas práticas em questões de gestão de terras e da urbanização de cidades adaptadas ao contexto local.

O seminário é marcado com a intervenção de representantes dos Ministérios da Administração do Território, do Urbanismo e Habitação, e da Construção, incluindo do Governo Provincial de Luanda, Comissão Administrativa da Cidade de Luanda, administração das novas centralidades e das administrações municipais.

O evento é aberto pelo ministro da Administração do Território, Bornito de Sousa,  deve ainda discutir temas ligados à Gestão de Cidades e de Terras, Políticas de Fomento Habitacional e de Expansão e Crescimento de Cidades, incluindo a Gestão Participativa de Terras.

Os participantes vão ainda abordar questões relativas aos desafios das autarquias locais, engajamento dos cidadãos na governação local, experiência do Fundo de Apoio Social (FAS) na promoção do fórum de cidadãos e o papel da aliança das cidades no contexto internacional.

O porta-voz do evento, João Domingos, gestor da Development Workshop, garantiu igualmente a presença de membros da sociedade civil. No último dia os participantes vão realizar visitas de campo aos projectos de requalificação dos municípios do Sambizanga e Cazenga e à centralidade do Kilamba.

Uma projecção das Organização das Nações Unidas (ONU) indica que, até final deste ano, mais de 61 por cento da população mundial vai pretender viver cada vez mais nas cidades e o êxodo está a trazer grandes desafios para os governos, com destaque para a pobreza, desemprego, desigualdade e exclusão social, mobilidade urbana e segurança.

A ONU afirma que a questão da urbanização das cidades tem sido minimizada em algumas experiências mundiais com um planeamento forte da gestão das cidades, de forma criativa e adaptada ao contexto local. Refere ainda que as soluções alternativas colocadas actualmente aos Governos têm sido a construção de parcerias efectivas com a sociedade civil e outras cidades e regiões.
Em função disso, João Domingos lembra que Angola, tal como outros países, não está à margem desta realidade mundial e se encontra numa fase de reconstrução e desenvolvimento social, daí defender a necessidade de construir uma rede de parcerias estratégicas, que ajudem a aprimorar as políticas públicas e de gestão da cidade. (jornaldeangola.ao)

por Augusta Cuteta

DEIXE UMA RESPOSTA